A Itapuã que o gringo não viu

coluna-pense-nissoOs bairros de Salvador são marcados pelas diferenças sociais, e Itapuã não foge a regra. No bairro da Sereia, encontramos suntuosas casas e apartamentos de luxo e também residências simples e uma infinidade de moradias irregulares. Essa é a consequência da ocupação desordenada que afeta grande parte das cidades brasileiras.

Além disso, há a associação dos bairros com os seus cartões postais, de modo que para os olhares externos a localidade fica restrita ao seu ponto turístico e muitos sequer fazem ideia de que naquele local possam existir paisagens distintas das estampadas nas propagandas turísticas.

Em Itapuã encontramos a já citada Sereia, o afamado Farol bem como a misteriosa Lagoa do Abaeté. Porém, também em Itapuã estão as Baixas do Tubo e da Soronha, o Alto do Coqueirinho e outras ruas, vielas e pontos que passam longe dos olhares internacionais.

Infelizmente, essas localidades estão geralmente associadas a notícias ruins, uma vez que o baixo IDH favorece o crescimento da criminalidade e a deterioração dos valores humanos, o que faz com que os órgãos que vendem a imagem da nossa cidade omitam essa realidade. No entanto, o desconhecimento dela impede que seja tomada uma atitude para transformá-la, e nesse círculo vicioso a população sofre as piores consequências.

Por isso, é necessário mostrar que o bairro conhecido pelas praias e poesia também possui sua face obscura, para podermos assim encarar de frente esta situação e quem sabe mudarmos essa realidade.

Next Post

Projeto ‘Pílula Dançadas’ anima as crianças de Itapuã

As Voluntárias Sociais da Bahia (VSBA), por meio do Programa Arte, Cultura e Lazer na Comunidade pela Paz, realizaram nesta segunda-feira (11), na Casa de Música, que funciona em Abaeté, no bairro de Itapuã, o espetáculo ‘Pílulas Dançadas’, do Balé do Teatro Castro Alves. A ação teve a participação de […]