O impasse com relação à reforma do Centro Esportivo Armindo Biriba, fundado na década de 80 e conhecido na comunidade como “Campo da Ilha”, tem sido alvo de frequentes reclamações dos moradores desde 2014, quando o ITAPUÃCITY já denunciava a precariedade da estrutura local que atendia mais de 300 jovens do bairro em diversas modalidades.

A assinatura da ordem de serviço para início das obras foi realizada pela Prefeitura de Salvador em 31 de março de 2017, três anos após a matéria que divulgou a situação do equipamento público. Os moradores, atletas e projetos sociais que utilizavam o Centro Esportivo foram remanejados para outros locais com a promessa de que em 1º de julho do mesmo ano, após 6 meses, a obra seria concluída e o equipamento entregue novamente para a população. O que não ocorreu até então e ficou apenas na promessa.

A redação do ITAPUÃCITY continuou recebendo diversas mensagens de moradores e frequentadores do Centro Esportivo devido ao atraso da obra, quando produziu mais a matéria: Frequentadores reclamam dos atrasos na obra do Centro Esportivo de Itapuã, em 7 de novembro de 2017 (4 meses após o prazo prometido para a entrega da obra). Em resposta a matéria, a Prefeitura reconheceu o atraso e enviou uma nota esclarecendo que o motivo foi devido a divergência com relação aos orçamentos apresentados pela empresa vencedora da licitação.

Acompanhando o desdobramento da obra, a equipe do ITAPUÃCITY continua fiscalizando os impasses para o avanço da mesma. Ao visitar o local mais uma vez, foi notada a troca da placa com as informações sobre a obra, inclusive com relação ao prazo de entrega, que agora informa que seria no dia 31/01/2018… porém novamente não foi cumprido.

Em nota a SEMTEL (Secretaria Municipal do Trabalho, Esporte e Lazer) informou apenas que já estão sendo executados os serviços de vigas, baldrames (forma, ferragem e concreto), lastro de concreto, armação de pilares do prédio administrativo e compactação. E que além disso, já foi iniciado o processo dos serviços de instalações hidráulicas e elétricas. A verba pública investida nessa reforma ultrapassa 2 milhões de reais através de um convênio entre Caixa Econômica Federal e SEMPS (Secretaria Municipal de Promoção Social, Esporte e Combate à Probreza).