Ciúme: monstro que aterroriza relações

coluna-entrelinhas

“Com o tempo aprendi que o ciúme é um sentimento para proclamar de peito aberto, no instante mesmo de sua origem. Porque ao nascer, ele é realmente um sentimento cortês, deve ser logo oferecido à mulher como uma rosa. Senão, no instante seguinte ele se fecha em repolho, e dentro dele todo o mal fermenta. O ciúme é então a espécie mais introvertida das invejas, e mordendo-se todo, põe nos outros a culpa da sua feiúra.”.

[Chico Buarque em Leite derramado, Companhia das Letras]

Quem disser que nunca sentiu ciúme de alguém, está mentindo descaradamente. Ciúme, um dos sentimentos mais intensos que se pode sentir, faz parte do cotidiano. E o terreno é vasto: dá pra sentir ciúmes de pai e mãe, de esposa, de amigo, de filho, e [acredite] há quem sinta ciúme das próprias roupas, livros e outros objetos pessoais. Mas de onde vem e o que alimenta esse sentimento? O ser humano, por natureza, é possessivo. Principalmente porque acredita que as pessoas com as quais se relaciona, às quais ela chama de suas, são realmente de sua posse. “Meu amor, minha vida, meu bem…”. É como se esses pronomes aparentemente inofensivos penetrassem na mente do psicopata e se transformassem em monstros que, principalmente em caso de relacionamento amoroso, no começo vão fazer você achar muito bonitinho se ele te chamar de “minha vida” e vão te deixar de cabelo em pé se um dia não der certo e ele disser que não pode viver sem sua vida, que no caso, é você. Prepare-se para muito drama e perseguição.

Imagem: Google

Então, de acordo com o dicionário Michaelis, o ciúme é: Inquietação mental causada por suspeita ou receio de rivalidade no amor ou em outra aspiração; Vigilância ansiosa ou suspeitosa nascida dessa inquietação; Ressentimento invejoso contra um rival ou suposto rival mais eficiente ou mais bem-sucedido, ou contra o possessor de uma vantagem material ou intelectual cobiçada. O ciúme na verdade é a autoestima abalada por um suposto concorrente julgado de maior valor. Ninguém gosta de perder, e só se sente ciúme quando o seu poder, a sua “posse” sobre o outro encontra-se ameaçada por algo ou alguém. Seu namorado sai com os amigos e você fica pensando se eles estão falando de mulheres, se isso pode incentivar o seu namorado a te trair, ou pior, se ele está fazendo farra com os amigos e um monte de mulher que você não conhece. Sua namorada tem um amigo a quem ela ama e não esconde isso, mas você só consegue ter a certeza que na primeira oportunidade, ela vai ser frágil demais para dizer não a uma investida, se ela ocorrer (claro que você não acredita em amizade entre homem e mulher, mesmo que já tenhamos visto antes que uma atração nesse caso não anula a amizade [veja aqui]). Podemos ver que o ciúme quase sempre se baseia em especulações sem sentido.

É claro que é natural imaginar situações e se incomodar com elas, mas alguns psicopatas conseguem ir além e fazer da vida do outro um inferno. Quem nunca fuçou o celular do outro que atire o primeiro chilique (de preferência, longe de mim). Eu mesma, por causa de três pessoas diferentes, recebi ligação de suas namoradas/noivas/esposas, querendo saber quem eu era. Uma era a namorada de um ex-ficante que eu não via há uns quatro anos. Outra, a esposa de um ex-colega de trabalho que tinha idade para ser meu avô. A última foi a situação mais engraçada: a esposa de um amigo muito próximo (ela inclusive conhece toda a minha família), me ligou e ao perceber que era eu, disse que ELE estava sem saber de quem era o número (que com certeza estava salvo junto ao meu nome), e ela estava fazendo esse favor de descobrir. Muita cara de pau para uma ciumenta só, né? Já vi casos de homem ciumento ir levar e buscar a namorada na academia por medo dos olhares alheios. E existem casos piores, onde pessoas se matam ou matam o ser supostamente amado por não conseguir aceitar este com outra pessoa (quando a relação acabou ou está no fim). Isso é real, pode pesquisar.

Imagem: Google

Os relacionamentos existem para somar coisas boas, dividir coisas ruins e compartilhar bons momentos. Bem, se o ciúme que você sente consegue atrapalhar o bom andamento da relação, ou quando vocês passam mais tempo discutindo o referido assunto do que curtindo um ao outro, é hora de parar e pensar no que você está fazendo com a sua vida. Assuma o ciúme, converse com o companheiro, tente levar na esportiva, e se não funcionar, procure ajuda (a psicologia pode te ajudar). Mas se a pessoa demonstra não querer mais estar ao seu lado, meu amigo, é hora que perceber que você é mais, amores vêm e vão e você vai ser feliz com alguém mais na frente. Aceitar o que não se pode mudar faz parte da evolução do ser humano e você não merece ficar sem dormir, sem comer, se corroendo com esse sentimento inútil por causa de ninguém.

Quem te ama, te respeita e lhe é fiel, será assim onde quer que esteja, mesmo olhando a mulher gostosa que passa ao lado e mesmo você não tendo a senha do facebook dele/a. Mas para gente cretina, não adianta perseguir, fuçar o celular, proibir de falar com fulano ou beltrano, pois essa pessoa irá descobrir uma forma de te trair, debaixo do seu próprio nariz.

Imagem: Google

E ainda há quem diga que um pouquinho de ciúme é bom para a relação. Longe de mim!

Tenho certeza que vocês têm pelo menos uma história cômica ou trágica de ciúmes para contar. Compartilhe com a gente!

PS: a fonte para as teorias mirabolantes dos assuntos abordados na coluna são sempre boas leituras em pesquisas no Google (incluindo trabalhos científicos), somadas à minha mente fértil e muito sensata.

Next Post

Incêndio atinge casa em Itapuã

Um incêndio atingiu uma casa na 2ª Travessa do Gravatá, atrás da Igreja Católica de Itapuã, segundo informou a Central de Polícias (Centel). De acordo com informações do órgão, o incêndio começou por volta das 12h. Equipes do Corpo de Bombeiros estão no local. Não há informações se há pessoas […]