Estudantes de Itapuã colocam a “mão na massa” em projeto que revitaliza a escola

No lugar de produzir cartazes para falar da importância do meio ambiente, alunos do ensino Médio e Fundamental 2 do colégio Lomanto Júnior, arregaçaram as mangas para uma ação participativa no ambiente escolar. Durante o ano, o projeto chamado “Escola limpa, Planeta limpo”, proporcionou a revitalização dos espaços físicos da escola, a partir de intervenções dos próprios alunos.

“O projeto é fruto das inquietações surgidas em relação às condições precárias de higiene do espaço físico das salas. Naquele momento, pensava-se apenas em promover a limpeza daqueles ambientes como contributo ao projeto de Meio Ambiente. A ideia frutificou e ampliou-se para uma reflexão mais profunda sobre a necessidade de desenvolver-se uma ética do cuidado em torno do espaço escolar e, por extensão, da Mãe Terra”, explica Cátia Valentina Góis, professora do Lomanto Júnior e coordenadora da iniciativa.

projeto-lomanto-3O engajamento dos alunos no projeto foi promovido de diversas formas, em todas as disciplinas. Os jovens fizeram pesquisas, leram textos relacionados ao tema, participaram de debates, listaram os problemas a serem resolvidos e a partir disso, elaboraram uma lista de tarefas, bem como de materiais que seriam usados como: tintas, objetos de decoração, aramados, revistas, artigos de higienização, entre outros.

Segundo a professora, a colaboração de pais, funcionários e professores foram fundamentais à execução das mudanças. “Muito tem se falado em consciência ambiental, mas pouco efetivamente temos feito para interferir de forma concreta nos ambientes por onde passamos cotidianamente, de modo a gerar uma dinâmica de respeito com os recursos e os seres que ali estão.Daí a necessidade de interferirmos nas salas que nos abrigam durante o turno de estudo para torná-las espaços humanizados, estimulantes cognitivamente e fruto do trabalho e intervenção do educando”, reforça Cátia.

projeto-lomanto-2 cópiaDurante os dias 16, 17 e 18 de setembro foram apresentados os resultados das ações, em um seminário que reuniu as turmas e os educadores envolvidos. No encontro, foram mostradas também paródias, peças teatrais, apresentações de danças, discursos sobre a importância da revitalização na escola. “Já estamos nos mobilizando em torno da revitalização dos jardins e de uma possível horta em uma área degradada da escola que está sendo limpa por nós, para abrigar hortaliças e verduras”, conta a educadora.

Ela adianta ainda que está prevista a realização de um bazar cultural, com o objetivo de arrecadar fundos para promover oficinas de grafite, reciclagem, customização, jardinagem e mosaico. “Tudo dentro do objetivo principal do projeto, que é a sustentabilidade!”, comemora Cátia.

Fonte: ItapuãCity | Camila Barreto

Next Post

Conheça diversidade que movimenta a vida cultural de Itapuã

Cantado por Dorival Caymmi e Vinícius de Moraes, Itapuã é um daqueles lugares que uma tarde já é o suficiente para se apaixonar. O nome de origem tupi, que significa “pedra de ponta” ou “ponta de pedra” e não “pedra que ronca”, como se costuma dizer, é um indício dos seus primeiros […]