5 de setembro de 2020

Geferson com G, de GRANDE

coluna-pense-nisso

O futebol sempre fez parte da cultura de Itapuã. Não é por menos, o bairro oferece uma das mais extensas faixas de areia de Salvador e as condições ideais para a prática do baba na praia. Assim, eventualmente surge um craque da comunidade itapuãzeira.

Recentemente, o bairro da boemia – e também do futebol – vibrou em festa com a convocação do lateral esquerdo Geferson pelo técnico Dunga para a disputa da Copa América, que começa para o Brasil no próximo dia 14. O atleta foi chamado após o corte do titular Marcelo, por contusão.

geferson_convocado_card_290515
Divulgação: Internacional

Eficiente na marcação e bom apoiador, Geferson tem no seu sangue DNA de campeão. Ele é sobrinho-neto da lenda Armindo Biriba, um dos atletas que integrou o time do Bahia de 1959 e conquistou o primeiro título brasileiro da história.

Diferente do seu tio, o lateral-esquerdo iniciou a sua trajetória na divisão de base do Vitória, porém, foi no Internacional de Porto Alegre que galgou os degraus da bola, chegando até a equipe principal, e agora realizará o sonho de todo atleta, que é representar o seu país em uma competição internacional.

As entrevista do lateral são marcadas por uma explicação em relação ao seu nome. Geferson, escrito com G ao invés de J, é uma referência ao seu pai, Gerson, este sim comumente escrito com G. No entanto, esse G de Geferson é também de GRANDE.

Como muitos futebolistas, Geferson enfrentou dificuldades ao longo da sua carreira. Como disse o pai do atleta, em entrevista ao Globo Esporte, em muitos momentos faltou dinheiro para o custeio do transporte para que o garoto pudesse treinar. Ou seja, eram grandes as dificuldades, porém, não eram maiores que a determinação de alguém que sonhava alto.