5 de setembro de 2020

Já é Natal

De fato os minutos continuam durando 60 segundos, as horas 60 minutos, os dias 24 horas e os anos 365 ou 366 dias, mas, a velocidade com que se processam as informações e o ritmo de vida alucinante da sociedade contemporânea, deixa a impressão de que o tempo está passando mais rápido. E nesse piscar de olhos que foi 2013, bons e maus momentos estão aí para serem lembrados.

Em termos globais, dentre os fatos mais marcantes do ano – e da história da humanidade – está a renuncia do ex-papa Bento XVI seguida do conclave que elegeu o primeiro papa latino-americano da história, o hermano Jorge Mario Bergoglio, ou, papa Francisco. O novo papa desconstruiu a imagem de “ser intocável” que se tinha dos pontífices; avesso às regalias e protocolos rebuscados, Sua Santidade busca a aproximação com o povo e se porta como um ser humanos comum, o que tem ajudado a Igreja Católica a reconquistar fiéis e fortalecido a fé na instituição.

2013 também será marcado pela morte do líder social Nelson Mandela, que assim como o papa Chico procurou manter uma relação de proximidade com o seu povo, abraçando-os e lutando em prol das boas causas; e apesar dos longos 95 anos que viveu, será eternamente lembrado pelo espírito jovem e aguerrido com o qual combateu as injustiças sociais.

Em relação ao Brasil, o ano que se vai leva consigo a tentativa de revolução social – digo “tentativa” porque não houve uma continuação dos movimentos iniciados em meados do ano, e apenas o lado ruim dos protestos perduraram. De toda forma, o brasileiro foi às ruas e exigiu melhorias para a nação, o que já é um começo. O que realmente chamou atenção nos protestos e surpreendeu quem não acreditava no poder de reação do brasileiro, foi o fato destes terem ocorrido ao longo da Copa das Confederações, fato que abriu os olhos do mundo para os problemas sociais brasileiros e deu apoio concreto a maioria oprimida do nosso país. Mas, infelizmente o sonho de um país politizado durou pouco e a mesmice voltou a reinar no rico solo brasileiro.

Outro ponto marcante do 2013 brasileiro foi a “conclusão” do processo do mensalão. A polêmica envolvendo a cúpula petista inaugurou no Brasil a condenação e prisão de políticos por crimes de corrupção e lançou um novo herói nacional, o Presidente do Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa. A eficiência do magistrado despertou no brasileiro o bom e velho ufanismo e muitos passaram a vê-lo como uma espécie de Batman brasileiro, se cogitou inclusive a candidatura do Joaquim para a Presidência da República tamanha a esperança depositada nele. Se isso de fato irá acontecer só 2014 dirá.

No mais, é esperar que o próximo ano seja mais próspero do que este que se vai para que na próxima retrospectiva tenhamos outros bons momentos para se relembrar.

Feliz Natal e um próspero ano novo.