Aprender sobre controle social de recursos públicos de forma lúdica. Esse foi o desafio vivido por estudantes do ensino médio do Colégio Estadual Rotary, em Itapuã, na manhã desta sexta-feira, 30, durante a experiência de jogar o ‘Você Gestor’. O instrumento educativo foi apresentado aos estudantes por representantes do Tribunal de Contas do Estado da Bahia (TCE/BA) – órgão que desenvolveu o jogo com o objetivo de informar sobre a importância da fiscalização de recursos públicos e, ao mesmo tempo, formar os cidadãos para o controle social.

Em sala, a turma do 1° ano B, com pouco mais de 30 alunos, recebeu, curiosa, a equipe do TCE, que explicou sobre o emprego dos recursos nas instâncias públicas, em áreas como merenda e fardamento escolares, por exemplo. Além disso, a breve palestra, liderada por Cristiane Vasconcelos, assistente adjunta da diretoria de gestão estratégica do órgão, contemplou também a função do Tribunal no controle e fiscalização das contas públicas.

“A gente precisa dos braços desses meninos para entender o que é controle social. O Estado não doa, ele reverte o recurso público, que deve ser acompanhado e bem utilizado. É o diferencial. O Tribunal está rompendo os paradigmas de ficar em uma casa fechada. Cada produto que aparece no Tribunal é pra pensar que o cidadão merece ter o direito de entender o que é ser cidadão e acompanhar o controle do recurso público” sinalizou a diretora.

Jovens gestores

Dois protótipos do ‘Você Gestor’ foram apresentados aos estudantes, que ajudaram a montar a mesa para a formação das equipes, com seis e oito participantes cada. O formato é semelhante ao do jogo Ludo, com tabuleiro, dados e pinos, além de cartas e fichas. Para iniciar o jogo, cada aluno assumiu a função de gestor público, escolhendo qual pasta desejava representar, entre opções como educação, assistência social e cultura.

Além disso, cada um iniciou a jornada com 200 pontos, começando a brincadeira com um jogo de dados, que segue casas em sentido horário. O participante, ao longo do tempo, poderia ganhar ou perder pontos, a depender da pontuação de cada casa. Para completar a missão, eles precisariam acumular 400 pontos. Ao ganhador, geralmente, um bottom é entregue, como uma medalha.

Empolgados, os jovens gestores demostraram facilidade em lidar com as regras que haviam sido ensinadas recentemente, tendo mais dificuldade com os conceitos técnicos para prosseguir sem perder pontos. Nas cartas intituladas ‘Controle Externo’, ‘Controle Social’ e o ‘Diga Aí’, uma série de conteúdos e informações sobre a gestão de recursos públicos circularam entre as equipes, exigindo concentração e atenção dos envolvidos.

As cartas trazem conteúdos distintos. ‘Controle Externo’ trata da fiscalização de órgãos e secretarias públicas. O ‘Controle Social’ faz referência às manifestações colhidas através da Ouvidoria Geral do Estado e na Ouvidoria do TCE. Em ambos os segmentos, estão presentes pontos positivos (boas práticas) e negativos (práticas de irregularidade) que afetam a pontuação total do participante. Ao somar 800 pontos, o jogador ganha duas missões e vence o jogo.

Para a maioria dos discentes, esta foi a primeira oportunidade de acessar as informações com o formato lúdico em sala de aula. A estudante Melissa Gomes, 17, era uma das mais atentas e não desgrudou das cartas. “Eu nunca tinha participado de um jogo assim. Está sendo bastante interessante. Desse modo, a gente aprende mais a expandir nossos conhecimentos em um jogo educativo”, afirma a jovem, que não conhecia as funções do TCE.

Já o estudante Gustavo César, 17, ressaltou a brincadeira como uma forma de aprendizado que destoa do formato tradicional de aulas, oportunizando outras alternativas informativas. “O jogo foge do dia a dia da aula. Somos privilegiados ao ter esse ensino. A gente só ouve falar sobre os nomes dos órgãos, mas nunca sabe o que é exatamente. Aqui, a gente pode aprender com a brincadeira”, sinalizou o estudante.

Enquanto parte dos estudantes estava no jogo, outro grupo participou de uma roda de conversa e recebeu a ‘Você no Controle’, uma revista em quadrinhos que conta a história de um grupo de alunos preocupados com a situação das verbas na merenda escolar. Com o desenrolar da narrativa, são inseridas questões históricas e informativas no enredo, com ilustrações de Gentil e texto de Chico Castro.

Idealização do projeto

O jogo ‘Você Gestor’ foi idealizado pelo gerente de comunicação do TCE, Marcos Navarro, a partir de uma brincadeira com sua filha, Ana Luiza. “Ela falou, ‘meu pai, porque que você não cria um jogo que fale do seu trabalho?’. Conversando com minha mulher, Eveline Costa, veio na minha cabeça um trabalho sobre controle, sobre fiscalização. Me veio à cabeça o jogo de tabuleiro”, explicou Navarro, que contou com o apoio da assessoria de comunicação do órgão e da equipe de auditores para desenvolvimento do projeto.

Para o idealizador, o jogo é extremamente importante pra auxiliar as pessoas na fiscalização dos recursos públicos, ao mesmo tempo em que enriquece historicamente estudantes e professores sobre o controle externo na Bahia e no Brasil. “O mais importante é se colocar na pele do gestor público, fazer aquela pessoa entender que gestão pública é de responsabilidade de qualquer um de nós, cidadãos, que podem, sim, auxiliar na fiscalização do controle externo. O mais importante nesse jogo é exercitar a cidadania, o controle social, a transparência e a tolerância entre as pessoas”, salientou.

Seis fornecedores estão em negociação para produzir o material que compõem o jogo, que vai ser formatado inteiramente pelo TCE. Estima-se que serão produzidas 2 mil unidades da ferramenta educativa. Há também a intenção de que, futuramente, o ‘Você Gestor’ possa ser desenvolvido em formato de aplicativo, ampliando o alcance do público.

O jogo é um dos produtos do projeto ‘Educação é da Nossa Conta’, que faz parte do Plano Nacional de Educação. O programa em questão tem a finalidade de fiscalizar os recursos públicos destinados à educação, elevando os índices de qualidade do ensino público.

Protótipos-piloto

O jogo ‘Você Gestor’ está circulando semanalmente nas escolas públicas e universidades com dois protótipos-piloto. Na primeira etapa, o jogo foi aplicado internamente com os próprios servidores, que realizaram testes e deram sugestões de melhoria. Já na segunda, o teste acontece, inicialmente, nas instituições de ensino de Salvador.

Na capital baiana, o projeto já foi apresentando para estudantes dos colégios Bolívar Santana, Thales de Azevedo, Aplicação Anísio Teixeira, Sátiro Dias, da Faculdade Baiana de Direito e do Curso de Ciências Contábeis da Universidade do Estado da Bahia (Uneb). A intenção do TCE é de que o material seja produzido em larga escala, sendo distribuído também em escolas do interior, para a promoção de torneios intermunicipais.

Além da idealização de Marcos Navarro, o ‘Você Gestor’ conta com o apoio do presidente do TCE, Gildásio Penedo Filho, do vice-presidente, Marcus Presídio, do conselheiro-corregedor, Inaldo Paixão dos Santos, do secretário geral do TCE, Luciano de Farias, da assessoria de comunicação do órgão e também dos auditores Marcos André de Matos, Gonçalo Amarante e Paulo Rocha.

Fonte: A Tarde