Erro no banco de dados do WordPress: [Table 'itapuacity1.wp_ppress_meta_data' doesn't exist]
SELECT * FROM wp_ppress_meta_data WHERE meta_key = 'content_restrict_data'

Lagoa do Abaeté está com as águas no nível mais baixo desde 2008

Lagoa do Abaeté está com as águas no nível mais baixo desde 2008

Erro no banco de dados do WordPress: [Table 'itapuacity1.wp_ppress_meta_data' doesn't exist]
SELECT * FROM wp_ppress_meta_data WHERE meta_key = 'content_restrict_data'

lagoa-do-abaeteQuem resolver dar um passeio no Parque Metropolitano do Abaeté por esses dias, verá muito menos das águas escuras da lagoa e mais da areia branca que a rodeia. O nível da Lagoa do Abaeté está visivelmente abaixo de como costuma ser visto.

O nível da água chegou a 17,24 metros, de acordo com a Coordenação de Monitoramento de Recursos Hídricos do Instituto de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema). Em 2012, o nível era de 18,32 metros. Em 2011, 18,20 metros.

“Essa diminuição é normal. Acontece todos anos no período de estiagem e varia a depender da quantidade de chuvas. Choveu pouco na cidade, existe evaporação, são fenômenos naturais”, explica o coordenador interino do Parque Metropolitano Lagoa e Dunas do Abaeté, Luiz Carlos Araújo.

Acontece que o índice atual é mais baixo que o último recorde, de 14 de março de 2008, quando a lagoa chegou a 17,26 m. Fora dos períodos de pouca chuva, a lagoa chega a ter pontos com profundidade variando entre 50m a 70m, segundo Araújo. “Este ano, a gente tem observado a olho nu que o nível das águas baixou muito mais”, acrescentou Araújo.

Para o diretor presidente da Universidade Livre das Dunas e Restingas do Salvador (Unidunas), Jorge Santana, a baixa da lagoa está associada não só à pouca chuva. “As casas e construções que ficam na parte de cima, o asfalto que há ao redor e as praças não permitem que a água das chuvas alimentem os lençóis freáticos da região. Então a tendência é as águas baixarem ainda mais”, explica. Esse processo é chamado de Antropização, quando há impacto das atividades do homem sobre o meio natural.

Segundo Santana, a Unidunas, criada em 1996 para preservação do Parque das Dunas, localizada na área de Proteção Ambiental (APA) das Dunas, Lagoas e Restingas do Abaeté, desenvolve trabalhos de educação ambiental no entorno da Lagoa do Abaeté.

“Quando se vai avançando para a Praia do Flamengo, dá pra perceber nitidamente que o nível da lagoa baixa em um ritmo mais tranquilo”, ressalta ele.

O Parque Metropolitano do Abaeté foi criado em setembro de 1993 e, além das dunas e vegetação nativa, é composto por 18 lagoas, distribuídas em cerca de 12 mil metros quadrados.

Fonte: Ibahia

Deixe o seu comentário:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.