Made in Itapuã

Jovem, talentoso, e cheio de vontade! Assim podemos descrever Nadilson Junior, ou Nêgo City, como é mais conhecido na Baixa da Soronha, local onde mora.

O jovem músico de apenas 16 anos tem surpreendido cada vez mais o público que tem acompanhado o seu trabalho nas bandas Cultura Popular e Kirybamba. Apesar de ter revelado em entrevista para a Itapuã City Magazine que gosta mais de tocar contas, timbal e surdo, Nêgo City bota a galera pra quebrar tudo quando assume a percussão no geral.

Iniciou a sua carreira ainda criança, aos quatro anos de idade, quando já batucava nas panelas e latas de leite que encontrava espalhadas pela casa. Ao revelar o seu talento, foi levado até a bateria do bloco Afro Malê Debalê para aperfeiçoar o seu dom, adquirindo mais técnicas.

Com o passar do tempo o jovem foi crescendo e dominando cada vez mais os instrumentos percussivos e se destacando nos grupos nos quais passava a fazer parte, como o próprio Malê Debalê, banda Meninos de Fé, Gruve Hool, Pedaço de cada um, e Samba Pop.

Com a popularidade em alta devido ao seu talento, Junior também produz alguns vídeos onde aparece tocando instrumentos de percussão em apresentações fantásticas. Os vídeos podem ser encontrados no YouTube, bastando apenas acessar o site e pesquisar por Nêgo City.

Em entrevista, o jovem contou um pouco sobre as suas expectativas como músico, e falou sobre os seus sonhos:

“Meu plano é seguir minha carreira musical mesmo, fazer minha faculdade de música, e ser bem reconhecido não só aqui em Salvador, mas também no Brasil inteiro, e quem sabe até mundialmente. O que sempre deixo claro é que levo comigo sempre o nome da Baixa da Soronha, que é onde nasci, me criei, e aperfeiçoei as minhas técnicas na bateria do Malê.”

O músico tornou-se referência para os jovens do bairro que buscam a sua carreira profissional através da música. Cada vez mais surgem grupos de samba e pagode na localidade, incentivados também pela demanda gerada por novos espaços que estão chegando no bairro.

Em alguns shows, Junior também se arrisca como vocalista, e leva a galera ao delírio. A exemplo desse caso tivemos na Choppada do Samba que ocorreu no início do segundo semestre de 2012, e também no Encontro das Máquinas, que aconteceu na sede do bloco afro Malê Debalê, evento no qual a Bronkka também se apresentou.

Ainda em entrevista ao site, ele também comentou como lhe dá com esa fase inicial da fama:

“O engraçado é que pareço muito com um primo meu chamado Tuca, pelo menos é o que dizem, eu não acho rsrs… então as pessoas me confundem muito com ele, sempre me perguntam: Você que é Tuca? Ou seja, acho que ele é mais famoso do que eu”, comenta Nadilson sobre a situação da fama.

Mesmo com o sucesso já garantido, o músico que ainda é de menor, conta sempre com o apoio dos pais, que geralmente sempre estão presentes nos shows e tocadas de Nadilson.

“Esse apoio sempre foi e sempre será muito importante para mim. Tenho muito orgulho dos pais que eu tenho, e espero sempre poder continuar contando com eles, afinal eles são tudo para mim”.

Fonte: Itapuã City

Next Post

Caso Neylton: ex-vigilante condenado está desaparecido

Condenado em primeira instância pelo assassinato do servidor municipal Neylton Souto da Silveira, o ex-vigilante Josemar dos Santos está desaparecido desde o último dia 15 de novembro. O caso está sob apuração da Delegacia de Proteção à Pessoa, onde a queixa foi registrada. Um Fiat Palio, do mesmo modelo que […]