23 de outubro de 2020

Morador de Itapuã tem aumento de 147% do IPTU; vice-prefeita esclarece

O novo valor do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU) continua sendo um dos assuntos mais comentados pelos soteropolitanos, que levaram um susto com o reajuste deste ano. É o caso do morador de Itapuã, Helio Polillo (74) que possui um sítio na Rua do Flamengo. Segundo ele, a taxa cobrada está 147% acima do valor do ano passado.

Hélio conta que até 2013 o imóvel, que ocupa uma área de 2.400m², tinha o IPTU avaliado em R$ 11 mil. Porém, no boleto de 2014 o valor subiu para R$ 34 mil. “Mesmo com o crescimento de Itapuã e do sítio nos últimos tempos, pagávamos um valor condizente. Mas agora, já considero o aumento uma atitude imperialista. Quando pagamos o aluguel, ficamos felizes por nos livrar dele. Aí conquistamos a casa própria e na hora do acerto de contas com a prefeitura somos explorados desta maneira? É um absurdo”, diz.

O morador afirma que aguarda retorno sobre a impugnação que fez junto à Sefaz, mas que já cogita a ideia de se mudar para um apartamento, a fim de amenizar o gasto no início do ano. “Esse valor não retrata a realidade das minhas condições”, completa.

Célia_Sacramento_03-e1389211869724De acordo com a vice-prefeita, Célia Sacramento, aconteceu uma revolução tributária social. “Aquele cidadão que mora em bairros mais favorecidos e obtém, inclusive, mais benefícios e serviços da prefeitura, pagavam IPTU defasado, em função do valor venal do imóvel de 20 anos atrás. Então, foi atribuída uma pequena alteração de 35%”, diz. “Existem muitos contratos de gaveta que tinham o valor do imóvel oficial alterado, reduzido, para justamente não pagar o valor do imposto correspondente”, reforça.

Célia frisa que caso o contribuinte não concorde com um ou mais dados utilizados para o cálculo do IPTU, pode fazer como o Hélio e através do site da Sefaz (www. sefaz.salvador.ba.gov.br) solicitar novo cálculo, na seção Impugnação de IPTU. “Não queremos cometer injustiça com ninguém. Só pagará quem de fato pode pagar”, ressalta.

Além disso, quem tiver imóvel avaliado abaixo de R$ 80 mil não está obrigado a pagar o IPTU, nem a taxa de lixo, que teve a isenção aprovada na Câmara. “Quem já pagou pode ir até a prefeitura pedir restituição”, finaliza Célia.

Fonte: ItapuãCity