Nativo de Itapuã necessita de patrocínio para disputar Paraolimpíadas

Saulo Miguez

Ronaldo pódio

O nadador Ronaldo Santos, 37 anos, atual líder do ranking brasileiro paralímpico dos 400 metros nado livre, corre o risco de ficar fora dos Jogos Paralímpicos do Rio em 2016 por falta de patrocínio. Profissional há 10 anos, Ronaldo acumula títulos estaduais, nacionais, pan-americanos e mundiais; ele esteve ainda nas Paraolimpíadas de Londres, em 2012.

Ronaldo explica que as disputas internacionais, quando o atleta vai representando o país, os custos são pagos pela própria confederação. No entanto, nas competições nacionais o atleta precisa arcar com as despesas. “A gente precisa se virar, recorrer aos amigos, porque patrocínio aqui na Bahia é muito difícil”, diz.

Ronaldo Medalha

Bolsa-Atleta

Atualmente Ronaldo é um dos atletas contemplados com o Programa Bolsa Atleta, do Governo Federal. Para isso, é necessário que o atleta tenha obtido bons resultados nas competições qualificatórias, mantenha-se treinando e competindo.

No caso da natação paraolímpica, os 3 melhores no ranking nacional de cada categoria são contemplados com a bolsa. Ronaldo é o líder paraolímpico dos 400 metros nado livre.

Seletiva para o Pan de Toronto

O valor pago pelo governo, no entanto, não é suficiente para cobrir despesas com as competições. Nos dias 25 e 26 de abril, por exemplo, será disputado o Aberto de São Paulo, que decidirá as vagas para os Jogos Parapan-Americanos de Toronto, em agosto deste ano.

Apesar de selecionado, Ronaldo ainda não tem como certa a sua presença em São Paulo devido à falta de patrocínio. “A gente batalha tanto, abdica de muitas coisas para estar treinando e na hora de viajar para mostrar o trabalho, a gente não sabe se vai, por falta de apoio”, desabafa Ronaldo.

Segundo o nadador, os custos com a passagem, alimentação e hospedagem para a disputa do Aberto de São Paulo, ficarão em torno de R$ 1600. Ele lembra aos empresários baianos que apoiar atletas é uma excelente propaganda para as empresas, que têm suas marcas associadas à prática esportiva e ganham visibilidade na mídia.

paraolimpico

Superando obstáculos

Com apenas um ano e seis meses de idade, Ronaldo Santos recebeu o diagnóstico de Paralisia Infantil. Desde então, os movimentos dos seus membros inferiores ficou comprometida. Isso, no entanto, não foi obstáculo para que ele pudesse seguir a sua vida de forma independente. Atualmente, Ronaldo é casado, reside no bairro de São Cristóvão e treina diariamente na Associação dos Servidores Fiscais do Estado da Bahia, para onde vai sozinho de moto.

Fonte: ItapuãCity

Next Post

As Ganhadeiras de Itapuã estão entre os dez grupos finalistas do Festival de Música Ilimitada

O grupo de cultura popular As Ganhadeiras de Itapuã estão entre os 10 finalistas da etapa baiana do Festival da Música Ilimitada, uma iniciativa da empresa de telefonia TIM. Os ganhadores serão eleitos através do voto popular nas redes sociais Facebook e Twitter. Clique aqui para votar e logo em seguida no […]