4 de dezembro de 2020

O lixo, as ruas e a multa de R$ 400,00

68AC4721D3FBFE1097DD047DD59F

Os vereadores aprovaram lei que pune quem jogar lixo nos logradouros públicos. Em primeiro momento, o infrator será advertido e será encaminhado para atividade socioeducativa em caso de reincidência. Havendo persistência, será multado em até R$ 400,00. A julgar pela quantidade de pessoas que não sabem conservar o espaço onde estão, os cofres da prefeitura vão engordar, e muito. Já era hora de alguma coisa ser feita. Os cidadãos destroem a cidade sem nenhum remorso e culpam a administração pública pela situação caótica que se revela em todos os lugares, todos os dias, sem que nada seja feito. A conseqüência é termos que pagar por aqueles destituídos de um mínimo de educação doméstica e civilidade.  Se o bom senso não ajuda, talvez o bolso se esforce por compreender e conservar limpo aquilo que pertence a todos.  Dura Lex, sed Lex – A lei é dura, mas é a lei.

É juntando educação, respeito e o rigor da lei que algumas cidades conseguem manter seus espaços limpos e conservados. É assim em Lisboa, no Porto, em Barcelona e Dublin. E assim também em Zurique, em Paris, Londres e tantas outras cidades espalhadas pelo mundo. Vários lugares onde a administração pública tomou as rédeas da situação mostram-se mais civilizados, uma vez que os cidadãos começam a compreender que o espaço público merece tanto seu cuidado e respeito como a sua própria casa. Há muito trabalho a ser feito, muita coisa a ser modificada, mas o passo inicial já sinaliza um novo olhar sobre o papel de cada um.

A ideia é justa, considerando a irresponsabilidade dos cidadãos que enfeiam a cidade, jogando lixo nas vias públicas, mas algumas questões precisam ser analisadas. A primeira delas é a necessidade de se colocar cestos de lixo nessas vias. Os que tem o cuidado de não sujar a cidade, precisam andar metros e metros para encontrar um recipiente, ou guardar o lixo em suas bolsas e mochilas. A segunda questão é intensificar as atividades socioeducativas por meio das escolas e outras instituições como Ongs e igrejas e essas ação não pode ser aplicadas apenas aos reincidentes. Outro ponto importante é aparelhar os órgãos com pessoal e material adequado para que se faça cumprir o que preconiza a lei. Para os que reclamam, sobretudo do valor da multa, há apenas uma solução: guardar o seu lixo em local a ele destinado. Quem anda corretamente não precisa temer os rigores da lei.