Onde se ganha o pão, se come a carne?

coluna-entrelinhas

Até bem pouco tempo atrás, o assunto relacionamento amoroso no ambiente de trabalho era um tabu no Brasil. Ainda existe um forte preconceito, já que até hoje, algumas empresas tentam proibir seus funcionários de se relacionarem entre si.

Esse é o tipo de coisa inevitável. Geralmente, passamos a maior parte do tempo no trabalho, convivendo com colegas, almoçando, compartilhando ideias e experiências, portanto, é praticamente impossível que em algum momento da sua vida o interesse por um colega não acabe acontecendo.

namoro_no_trabalho

Em pesquisa, descobri que as empresas não podem proibir o namoro entre funcionários. Isso caracteriza “danos morais” e a empresa pode até ser processada por isto. Mas a empresa pode (e deve), proibir gestos de carinho ou intimidade no ambiente da empresa. Sexo então, nem pensar! Parece óbvio, mas quando se está apaixonado, a vontade de estar perto pode ser maior que o bom senso.

É bem verdade que pode ser excitante se imaginar com aquele colega de trabalho interessante, ou aquela colega gostosa. Pensou em alguém agora? Se isso não envolve sentimento, meu caro, minha cara, melhor pensar se vale o risco. Abordar algum colega pode ser caracterizado como assédio e você pode ser demitido (a) com justa causa.

Agora acorde, deixe o fetiche de lado, é bom pensar que se o casal não tomar bastante cuidado, pode virar alvo de fofocas dentro da empresa, portanto, enquanto estiver dentro do ambiente profissional:

Evite troca de carinhos, beijos e abraços; Não use o e-mail corporativo para troca de recados pessoais; Evite chamar o outro por apelidos que usam entre si; Evite visitar a mesa do outro com frequência, principalmente se for tratar de assuntos que não correspondem aos interesses da empresa; Festas da empresa, mesmo que sejam fora dela, são como uma extensão um pouco menos formal do ambiente de trabalho. Pense em como deve ser visto pelos outros colegas e chefes. Roupa suja se lava em casa;

Acabou de interessando por um colega e foi recíproco? Estão envolvidos? Contem ao chefe. Mas apenas quando sentir que a relação é séria e tem futuro. Estão em um mesmo departamento? Pode ser que a empresa considere mais confortável trocar um dos dois de setor, isso pode ser inclusive melhor para a relação. Se quiser apenas um caso… Bom, o ideal é evitar casinhos, ou “lances” com colegas de trabalho, mas se isso acontecer, certifique-se que a outra pessoa tem o mesmo interesse e cuidem para que a relação informal não interfira no desempenho dos dois.

Aposto que você que lê essa coluna agora, já ficou com alguém do trabalho. Se não ficou, já teve vontade. Se nunca teve vontade, parabéns, você evita bastante o risco de ter problemas.

O importante é ter sempre em mente quando vale o risco, observar a sua postura quando acontecer, usar sempre o bom senso, e conhecer as normas da empresa a respeito do assunto antes de assumir a relação.

Se envolveu com o chefe? Xiii… você gosta de problema, hein?! É fundamental sempre manter uma postura profissional, afinal, chefe é chefe. Isso não impede que você questione, argumente, mas sempre lembrando que ali você é um subordinado. Deve-se cuidar para que os outros colegas não pensem que você está sendo beneficiado pela relação.

Para o bem do relacionamento, problemas do trabalho nunca devem influenciar o momento juntos fora dele. Cada coisa no seu lugar e todo mundo pode ser feliz.

Next Post

Casa da Música Itapuã Festival

Curta a Copa das Confederações num lugar diferente, com boas energias e música de qualidade, numa mistura de cultura, música e entretenimento. O evento será realizado nos dias 22, 26, 27 e 28 de junho na Casa da Música Itapuã. Fonte: ItapuãCity