Orla de Itapuã inspira atletas e amadores para a prática do surf

Seja na Sereia, em Jaguaribe, Stella, Piatã, Placaford ou Stella Maris, não importa, o surf está presente em toda extensão da Orla de Itapuã. O esporte, que é a cara do verão, ganhou ainda mais destaque, desde a conquista do título mundial pelo brasileiro Gabriel Medina, há menos de um mês. De certa forma, parece que o surf contagia e vem multiplicando seguidores. Surfista há oito anos, Thiago Alejandro conta sua experiência nas ondas itapuãzeiras.

Escola de Surf1

“A costa que pertence ao bairro é grande e a depender da previsão, existe pontos em Itapuã que somente quem tem uma certa experiência no esporte se arrisca a encarar. Não é à toa que nas proximidades do Farol de Itapuã acontece a competição de ondas grandes. Já na Sereia, geralmente o mar é bastante calmo, sem muitas ondas. No entanto, se chega um swell em Salvador pode movimentar boas ondas, divertindo todos os níveis”, diz.

Para ele, a prática do surf nas imediações de Stella Maris, exige maior preparo. “A praia de Stella geralmente não é muito indicada a iniciantes, por conter muita força e proximidades de corais o que, junto às correntes pode trazer perigo aos iniciantes”, afirma. Os veteranos no entanto, encontram em Stella o local ideal para testar suas habilidades. “Aqui é possível encontrar ondas de diversos tipos, seja fundo de areia ou bancadas de corais”, completa Thiago.

Escola de Surf
Escola de Surf Itapuã reunida em mais um competição.

Escola de Surf de Itapuã

E para uma comunidade que abriga surfistas, existe há cinco anos, a Escola de Surf de Itapuã. A instituição, fundada pela Associação de Surf do bairro, é voltada para o âmbito educativo, desportivo, ambiental e social, atendendo crianças e adolescentes de baixa renda da região.

“Agregamos alunos que, na sua maioria, são filhos de moradores possibilitando-os a participar de uma atividade física. Aplicamos métodos de ensino e conhecimentos gerais, incluindo respeito, amizade e convivência em grupo. Dividimos as aulas em teóricas e práticas. A partir de um método rápido e seguro é possível ter a sensação de surfar já na primeira aula”, informa o coordenador e instrutor, Elivaldo Cerqueira.

Ele conta que nas primeiras aulas são abordados temas meio ambiente, conservação, condições da maré. Nessa etapa são apresentadas também dicas de preparação física. “Logo depois começa a parte prática onde o aluno aprende a carregar a prancha, os cuidados com o material, a postura, entre outros pontos do esporte”, diz.

Escola de Surf2
Jadson Santana em ação, uma promessa pro Surf Itapuãzeiro

“As aulas iniciais são realizadas na Rua K, depois partimos para Piatã. Conforme aconteça o desenvolvimento dos alunos passamos a ter aulas na Pedra do Sal, Stella Maris, Arembepe, entre outros. “É importante notarmos a evolução do grupo pois existem locais que possuem ondas específicas, onde somente uma pessoa bem treinada consegue surfar nelas. Na Pedra do Sal e Farol de Itapuã por exemplo, existem ondas que crescem na beira da praia e empurram o atleta”, completa Elivaldo.

As matrículas já estão abertas. A inscrição custa R$ 30,00 e pode ser feita na sede da escola. O material é fornecido pela instituição. A Escola de Surf fica na Rua Horaciano Góes – Piatã.

Fonte: ItapuãCity

Next Post

Moradores e instituições se reúnem para organizar Lavagem de Itapuã 2015

Moradores e instituições se reuniram na noite desta segunda-feira (12), na sede da Associação de Moradores de Itapuã (AMI), que fica localizada no Largo de Jenipapeiro, para planejarem a festa de 110 anos da Lavagem de Itapuã. O evento acontecerá no próximo de 5 de fevereiro, tendo início ainda de […]