5 de setembro de 2020

Pontos da orla de Itapuã serão reformados

mapa-orla-salvador

Calçadões, iluminação, quadras, espaço para shows, além de banheiros públicos, ciclovias, bares e restaurantes. Até a Copa do Mundo, nove pontos da orla de Salvador, do Subúrbio a Itapuã, devem receber uma nova cara. A previsão é da prefeitura de Salvador.

O plano foi apresentado ontem pelo prefeito ACM Neto em um encontro na Casa do Comércio entre membros da prefeitura e empresários do trade turístico baiano. Serão contemplados os bairros de São Tomé de Paripe, Tubarão, Ribeira, Rio Vermelho, Jardim de Alah, Boca do Rio, Piatã e Itapuã. Todos receberão novos equipamentos e sanitários públicos, mas cada um terá detalhes próprios.

“A Barra terá o projeto de maior impacto urbano. Divulgaremos o projeto completo logo após o período das chuvas”, afirmou Neto. Sem especificar data para o início das obras, ele afirmou que haverá “uma mudança total” no bairro.
O projeto da Barra incluirá a instalação de um piso compartilhado entre carros de passeio, pedestres e ciclistas. A prioridade será dos pedestres, com o deslocamento do trânsito de veículos para as ruas internas.

O CORREIO havia antecipado alguns dos projetos em março (confira mais detalhes no mapa da página ao lado). Anteriormente, os projetos haviam sido pré-orçados em R$ 32,7 milhões, mas agora a prefeitura preferiu não confirmar a previsão para o custo total das intervenções.

Com um rombo de aproximadamente R$ 3 bilhões da gestão passada, a estratégia principal da prefeitura será captar recursos privados. Responsável pelos projetos, a Fundação Mário Leal Ferreira confirmou que parte dos recursos virão da prefeitura e o restante será captado.

Boêmio Conhecido como bairro boêmio, o Rio Vermelho será um dos primeiros contemplados, segundo Neto. “Como há grande investimento privado previsto para o Rio Vermelho no setor imobiliário, queremos garantir uma contrapartida de pelo menos R$ 10 milhões dos empresários”, afirmou Neto. As obras de requalificação do local irão da praia da Paciência à Igreja de Santana.

No encontro, o prefeito ainda afirmou que assim que a Justiça autorizar o início das obras (a questão da orla está judicializada desde a gestão passada), deslocará os ambulantes que atuam na área. “A intenção é reaproveitar a mão de obra desses ambulantes nos equipamentos instalados na orla”, afirmou Neto.

Na Boca do Rio, um dos bairros contemplados no projeto, o Aeroclube será demolido e um novo shopping construído, com mudanças no trajeto da via que margeia o equipamento. O projeto depende de liberação da Justiça.

Empresários do turismo pedem ajuda à prefeitura
Embora satisfeitos com o movimento da prefeitura de promover um encontro com o trade turístico, os representantes do setor na capital apresentaram reivindicações e sugestões no encontro de ontem. O presidente da Associação Brasileira das Agências de Viagem (Abav), Pedro Galvão, pediu ajuda à prefeitura para dar continuidade a um projeto para retirar jovens da rua, levá-los para a escola e transformá-los em guias turísticos mirins, no Pelourinho e Centro Histórico.

“Nos reuniremos com ele (ACM Neto) semana que vem para continuar com o assunto”, afirmou. Silvio Pessoa, presidente do Conselho Baiano de Turismo, criticou a falta de espaços para festas na cidade e apontou a necessidade de retomar a coleta seletiva na cidade. “Fazemos reciclagem nos hotéis, mas depois os resíduos são misturados”.

Fonte: Correio da Bahia