Bairro classe média

classemedia

coluna-perspectivas

Não é a primeira vez que defendo defendo a tese de que Itapuã é um bairro classe média. Temos que fugir do velho discurso em que moramos num bairro mergulhado na pobreza. Este fato deturpa uma realidade bem diferente da nossa comunidade. Itapuã é sim um bairro castigado pelo descaso e o abandono de gestões anteriores, fato este que não corresponde ao seu crescimento econômico que vêm alavancando o bairro a um patamar de classe média.

É uma pena que isto se reflete no aumento da desigualdade social.

Vivemos num bairro que mistura riquezas, pobrezas, sagrados, profanos, alegrias e tristezas. Desta forma, não é difícil afirmar que Itapuã tem cara da nossa querida Salvador. As casas populares, se misturam a casarões, prédios e conjuntos habitacionais de tal forma que fica difícil enxergar uma segregação econômica física tão evidente. Vemos em muitos casos um convívio de pessoas com diferentes classes sociais, se relacionando e convivendo nessa grande mistura.

Isso não quer dizer que inexiste segregação. Há também comunidades segregadas como as baixas do tubo, da Soronha e do Dêndê, carentes de infra estrutura e qualidade de vida. Bom ressaltar que pensar numa cidade próspera é pensar no desenvolvimento de todos e não só de um determinado grupo. Quando isso não acontece, toda a economia volta a satisfazer a demanda das classes mais abastardas, dificultando e muito a vida dos mais pobres. Isso fica bastante evidente no comércio com preços cada vez mais elevados, salvo alguns poucos espaços.

Next Post

Ambulantes que atuam na orla de Itapuã terão que usar uniforme e crachá

A partir de dezembro, todos os ambulantes que atuam nas praias de Salvador deverão trabalhar uniformizados e com crachá de identificação. A medida foi determinada pela prefeitura através de decreto publicado, ontem, no Diário Oficial do Município. Todos os vendedores que trabalham com bebidas, por exemplo, terão que se adequar […]