29 de novembro de 2020

coluna-olhar-nativo

 

“Quando você passa eu sinto seu cheiro. Aguça meu faro e disparo em sua caça, iaiá! O tempo inteiro a te admirar(…)”

Qual o cheiro tem Itapuã? Para mim tem cheirinho gostoso de felicidade e pra você?

Tão bom quando acordamos, conosco nasce também a esperança de uma maravilhoso dia. Um dia melhor do que o anterior e não mais que o seguinte. Qual o primeiro cheirinho do seu dia? Cheirinho do café feito por alguém muito amado (a) por você ou será a brisa do mar ou até mesmo cheiro de flores da sua imaginação de uma vida mais perfumada e colorida?

Saímos para mais um dia de batalha. Sinto o cheiro da vitória. Que tal o aroma da roupa lavada da vizinha ou do bolo fresquinho da tia? Bom mesmo, tão bom ter o olfato. Pena, em algumas vezes, ter o odor do esgoto a céu aberto, caca do cachorrinho, a fumaça do carrinho velho, do caminhão de lixo que passam em horários inoportunos da nossa rotina.

Ao longo do ano, diversos são os aromas nesse bairro. Em janeiro, tem o cheirinho inebriante do mar com a chegada de mais um ano. Em seguida, o perfume insubstituível da água de cheiro na lavagem pré-carnaval. No meado do ano, sentimos a preguiça no corpo acompanhada do respirar o doce perfume da mamãe, da vovó, da tia, da madrinha, do pai, do vô, do tio, do padrinho e por que não dos amigos? Cada dia mais, o gostoso dendê do acarajé, o coco do bolinho de estudante, o energizante amendoim do doce das baianas, o feijão e os temperos do abará, o pastel, a coxinha, o beijú de tapioca e seus diversos recheios, a caldo de cana, o churrasquinho… Hum…. Esses aromas dão é muita água na boca, sem esquecer a pimenta arretada.

Bom chegar, de volta pra casa, ver o Sol indo embora e ao vim pela orla senti a brisa tocar o rosto trazendo o cheirinho das algas. Pelas Avenidas, senti o pós-banho de uma encantadora menina ou do pãozinho fresco da padaria.

Há aqueles que sentem o cheiro da injustiça, do abandono do nosso querido bairro, do descaso de antigos e novos moradores.

A primavera está chegando, bom cultivar novos perfumes. Concorda? Antigamente, eu via mais flores a enfeitar os muros e as janelas, elas davam mais magia a Itapuã. Eram flores alegres por serem cultivadas na linda e rica Itapuã. Aromas, perfumes também encantam a vida, jamais deixe de acreditar que cheirinhos “doces” tornam mais suave e mais linda o amor e o cuidado à vida!

 

praia
Fonte: http://4.bp.blogspot.com/