Enquanto a Copa não vem…

coluna-pense-nisso

Quem passa pela praia de Itapuã aos sábados sabe quão acirradas são as partidas de futebol jogadas naquelas areias. Os coletes distinguindo os times, os “elogios” aos árbitros e, principalmente a vontade demonstrada pelas equipes fazem com que o futebol amador de praia não fique devendo nada ao esporte profissional; e no atual momento do esporte na Bahia, não é exagero dizer que o baba da praia tem empolgado mais do que as partidas da Arena Fonte Nova.

Na areia da praia cada lance é único e cheio de polêmica. Uma falta marcada (ou não marcada), um passe bem feito (mal feito ou não feito), uma bola perdida ou recuperada e – como não poderia deixar de ser – um gol perdido ou sofrido, geram debates calorosos que em muitos momentos parecem caminhar para as vias de fato, mas, para a felicidade de todos, fica só no ensaio.

Como se já não bastassem as situações da partida, fatores extra-campo também contribuem para aumentar o calor do espetáculo. Uma bola vinda de outro baba, a passagem de um vendedor ambulante e, principalmente, as bem-vindas invasões de campo das “torcedoras” que aproveitam o dia de sol, já foram responsáveis pelas mais inusitadas situações; desde cômicos ataques de nervos até interrupções improváveis. Como o atacante que no momento mágico da finalização interrompe a jogada, pega a bola com as mãos e espera uma jovem atravessar toda a extensão do campo para dar prosseguimento à partida. O camisa 9 recebe os cumprimentos da moça e de todos os companheiros e adversários e então a partida recomeça com todo o calor de antes.

Assim é o futebol na praia: corrido, disputado, cheio de emoção. Mas, sem perder o espírito esportivo.

Next Post

Sarau da Tabuleiro agita Itapuã neste sábado

Será realizado em Itapuã neste sábado mais uma edição do Sarau da Tabuleiro. O evento tem crescido a cada edição, e se destacado no bairro por atrair um público jovem e até mesmo de outros bairros de Salvador, que vêm curtir o evento. Neste sábado a banda Tabuleiro, que é […]