Festival anual da Canção Estudantil realizado em Itapuã

festival-1

Na última sexta-feira (26/08) ocorreu o primeiro “FACE” (Festival Anual da Canção Estudantil), produzido pelo Colégio Lomanto Junior em Itapuã, onde os estudantes mostraram seus talentos e o dom para música .

“O primeiro festival de musica do CEGLJ é um desejo antigo e, desde o início deste ano esperamos ansiosos pela publicação do edital do concurso. Quando finalmente começaram as inscrições, nós procuramos inscrever logo a escola no mesmo. Divulgamos para os alunos, eles imediatamente abraçaram a ideia e se emprenharam ao máximo para apresentação de músicas inéditas” – Explica a professora Cida Diniz, organizadora do projeto.

festival-3

Um dos alunos que mais se destacaram não estava escrito no concurso, mas mesmo assim mandou o seu recado quando pegou o microfone, e lançou o “free style. Philippe César, improvisou cantando um Rap e ganhou a atenção de todos que ficaram em “transe” assistindo sua apresentação.

“Eu acho que o Rap é uma música direcionada a todos os públicos, independente de raça, cor, idade. O Rap na verdade é um ritmo que envolve tudo em geral. Os preconceitos que criam sobre o Rap  são apenas críticas de pessoas de mentes vazias. O Rap não é ligado ao crime, nem coisas desse tipo” relata ele.

festival-2

O festival teve 5 alunos inscritos, apresentando canções inéditas feitas por eles, que foram analisadas por uma bancada de jurados que iam desde professores à críticos musicais, além de um representante da Secretaria de Educação da Bahia.

A vencedora do dia foi a aluna Lourdes Ferreira, que cantou a musica ” meu general” composta pelo também aluno Rafael Vinagre. “Antes de começar a música fiquei nervosa pois tinha muita gente me olhando, mas depois fui me soltando e me entregando a canção. Foi legal ter interpretado a música de um amigo e compositor incrível como Rafael”, destacou Lourdes .

festival-4

Next Post

Exemplo a ser seguido

Andando pela cidade de Salvador nos deparamos com uma série de problemas próprios das grandes metrópoles: trânsito intenso, poluição nas mais variadas formas, excesso de concreto e ausência de áreas verdes. Esse cenário é fruto de um modelo urbano que entende o progresso como algo relacionado às grandes construções e […]