Ginásio poliesportivo será construído em Itapuã a partir de janeiro de 2017

Redação

Conhecido na comunidade como “Campo da Ilha”, o Centro Esportivo Armindo Biriba, passará por reforma a partir de janeiro de 2017 para a construção de um ginásio poliesportivo. O espaço foi fundado na década de 80, e encontra-se atualmente com áreas degradadas e sem infra-estrutura adequada para atender a comunidade, que apesar da situação desfruta da prática de diversas modalidades graças a contribuição dos próprios frequentadores, que chegam a tirar do próprio bolso para viabilizar intervenções no local.

A partir do segundo semestre de 2017, é estimado que cerca de 750 crianças e adolescentes com idades entre 6 e 16 anos terão a oportunidade de praticar até 20 modalidades esportivas no novo ginásio, entre elas esportes olímpicos e paralímpicos. Conforme a placa que já se encontra no local, a prefeitura deve iniciar a obra em janeiro de 2017.

O investimento para a construção do equipamento equivale a R$ 2 milhões, e desse montante 5% serão de recursos da Prefeitura de Salvador, o restante é oriundo do Ministério do Esporte. Segundo informações da SEMPS, a obra está prevista para ser entregue em 6 meses, quando também serão iniciadas as matrículas.

Atualmente o Centro Esportivo Armindo Biriba atende demandas das seguintes modalidades: futebol de campo, futebol de salão, karatê, jiu-jitsu, taekwondo, boxe e capoeira. Com a reforma, a SEMPS informa que o ginásio possuirá 4,1 mil m² e será possível a prática das seguintes modalidades: atletismo, basquete, boxe, handebol, judô, lutas, tênis de mesa, taekwondo, vôlei, esgrima, ginástica rítmica, badminton e levantamento de peso e futsal. Os esportes paralímpicos que poderão ser praticados são a esgrima em cadeira de rodas, judô paralímpico, halterofilismo, tênis de mesa, vôlei sentado e goalball.

centro

Next Post

Vendedores avaliam aumento dos preços nas praias

Vendedores das praias de Jaguaribe, Piatã e Farol de Itapuã se espantaram ao saber que na Barra a cerveja está sendo vendida a R$ 8. Antônio Carlos dos Santos, 73 anos, que administra a Barraca do Careca, em Piatã, foi um deles. “Aqui é mais popular, povão mesmo e povão […]