27 de novembro de 2020

Moradora de Itapuã abre portas de casa para turistas e amplia renda

O Carnaval do Rio de Janeiro foi a inspiração para a implantação do projeto Cama e Café, criado pela Setur, na Bahia. Com 112 empreendimentos mapeados e cadastrados em sua primeira fase, o programa cria uma rede que oferece hospedagens de qualidade com preços baixos. Podem cadastrar pequenos empreendimentos em Salvador e em cidades do interior, que tenham pouca oferta de hotéis, que realizam grandes eventos.

A aposentada Ana Marli Oliveira abriu as portas de casa, no bairro de Itapuã, para a vinda de turistas. “Como eu moro só, é uma experiência muito boa, só de ter o contato e poder conversar com algumas pessoas. Sem falar que é uma boa ajuda financeira”, conta a aposentada. Ela costuma cobrar diária de R$ 70 para um quarto sem banheiro, e a suíte fica por R$ 89. Um apartamento que fica na parte dos fundos da casa custa R$ 130, e é alugado em geral para casais com filho. “Financeiramente é excelente. Ano passado, eu recebi uma família que, com a renda que ganhei, consegui pintar a casa inteira. Foi ótimo”, comemora.

Os consultores do Cama e Café orientam os empreendedores a gerir seu estabelecimento e dão dicas para profissionalizar um pouco mais o aconchego de casa. A estrutura oferecida pelo projeto vai ajudar pequenos estabelecimentos que ficam em rotas turísticas. Entre os destinos beneficiados, estão Cachoeira, Santo Antonio de Jesus, Amargosa e Cruz das Almas, que recebem milhares de turistas por conta de grandes eventos culturais e religiosos como o São João, a Festa da Irmandade da Boa Morte e Feira Literária Internacional (Flica).

* informações do Correio da Bahia