Permissionários do Mercado de Itapuã questionam pagamento de segurança privada

Redação

Há quase 1 ano e meio funcionando após reforma realizada pela Prefeitura, o Mercado de Itapuã segue com movimento ainda deixando a desejar. Apesar de ganhar dois novos pavimentos, o local tem baixa adesão dos turistas e da própria comunidade.

Porém, o que chama atenção dessa vez é que apesar de ser um equipamento público, o custeio da segurança no local é exigido aos permissionários pela Prefeitura. A situação foi denunciada ao portal por um dos permissionários, que preferiu não se identificar para não ser retaliado pela administração do local.

“Fazemos de tudo para alavancar o Mercado, mas a administração parece dificultar mais do que ajudar. Tudo que queremos fazer aqui tem burocracia, mas o mais espantoso é essa questão da segurança. É um espaço público e eles não colocam um guarda municipal aqui, mas ficam exigindo que a gente seja responsável pela segurança”, reclama.

A equipe do ITAPUÃCITY entrou em contato com a Secretaria de Ordem Pública – SEMOP, responsável pela administração do equipamento, e obteve retorno através de nota:

Vale salientar que o Decreto nº 11.725/97 que dispõe sobre a administração, funcionamento e fiscalização dos Mercados Públicos do Município em seu artigo nº 14, parágrafo primeiro, diz que constituem obrigação dos permissionários pagar as despesas comuns e mensais além dos serviços de água consumida no mercado, energia elétrica das áreas comuns (circulação, sanitários, administração, depósitos, etc), material de limpeza e conservação, serviços de segurança, higiene e vigilância, manutenção das luminárias e reparar quaisquer danos ocasionados nas instalações.

Clique aqui e confira o decreto na íntegra. 

mercado2

Next Post

Macaco aparece morto em quintal de casa no bairro de Itapuã

Um macaco do gênero ‘Mico’ foi encontrado morto no quintal de uma casa, na manhã desta quarta-feira, 3, no bairro de Itapuã, em Salvador. De acordo com a moradora, Marcia Maria Carneiro, de 51 anos, nesta área da residência sempre apareciam animais, mas há uns oito dias eles sumiram. Ela disse […]