23 de outubro de 2020

Santo Antônio nas águas de Itapuã

santo antonio de arguimcoluna-perspectivas

Saiba qual a relação de Itapuã com o primeiro padroeiro da Bahia: Santo Antônio de Arguim.

Conta que há muito tempo, no finalzinho do século XVI, uma frota de 12 navios franceses partiu do reino da França com o objetivo de atacar Salvador. Quando passaram por Arguin, uma das numerosas fortificações portuguesas na costa africana, eles atacaram a fortaleza e saquearam muitos pertences, dentre estes, uma pequena imagem de Santo Antônio.

Se os franceses fossem devotos da fé católica ou se por ventura fossem indiferentes aos simbolismos eclesiásticos, talvez a imagem de Santo Antônio tivesse atravessado o atlântico sem grandes dificuldades. O problema é que toda a tripulação era protestante, fato este que tornou a pequena imagem em alvo de maus tratos e de zombarias gratuitas antes de ser jogada no mar.

Naquela mesma noite a frota francesa adentrou o oceano rumo às terras tupiniquins. Foi quando uma forte tempestade atacou as embarcações. Quase todos os navios foram afundados pela força da natureza. Dos que sobraram apenas um conseguiu atingir a costa brasileira e só veio afundar em águas sergipanas.

Por sorte a maioria da tripulação conseguiu sobreviver à tempestade. Mesmo assim a alegria deles terminou quando chegaram à terra firme. Os franceses foram capturados por soldados do governo da Bahia que lá estavam a sua espera. Desde então, eles tiveram que fazer uma longa viagem, a pé, pelas ardentes e intermináveis praias do litoral baiano, rumo à cidade de Salvador.

Depois de muitos dias em caminhada, ao chegar às praias de Itapuã, os tripulantes tiveram uma grande surpresa. Eles encontraram a imagem de Santo Antônio, aquela mesma, saqueada e maltratada antes de ser jogada ao mar, na beira da praia. Eles não entendiam como aquela imagem foi parar bem ali em pé, sem que ninguém tivesse trazido ou o levantado!

Arrependidos, os prisioneiros recolheram o objeto sagrado até pudessem entregar a alguém disposto a coloca-lo numa ermida. E foi assim que a imagem de Santo foi parar nas mãos de Francisco Dias D’ávila que a acolheu até que fosse parar na Igreja de Nossa Senhora da Ajuda e posteriormente na capela de São Francisco, em 1595. Eis aí a história de Santo Antônio de Arguim, considerado o primeiro padroeiro de Salvador.

Encontrado nas águas de Itapuã…