Música para celebrar a vida e a morte. Dessa forma, os amigos, alunos e admiradores do músico Antônio Ferreira Annunciação farão no domingo(22), das 17h às 20h, na Casa da Música, no Abaeté, uma homenagem ao mestre, também conhecido como Sabará. O velório será realizado na terça, 24, às 9h, e o sepultamento, às 11h, no Cemitério de Itapuã.

De acordo com a amiga Analu Franca, a homenagem terá muito som, conversas, a exibição de fotos e vídeos, além da participação virtual de amigos que não puderam vir a Salvador. “Queremos que a alegria que sempre o caracterizou em vida também seja o ponto alto nesse momento”, completa.

Estão confirmadas as presenças de Tamima Brasil (virtualmente), Triat’uan (grupo marcante na carreira), Aderbal Duarte, Grupo Raposa Velha, Kinho Xavier, Luciano Chaves, Kity Canário, Ivan Bastos, Andréa Daltro, Asa Branca, Elena Diz (virtualmente), Amadeu Alves, Mauro Rodrigues, Roberto Sousa, Ubiratan Marques.

Segundo Paulo Paiva, que em 2011, publicou no blog Acorda Meu Povo uma resenha sobre a obra de Annunciação, ele foi descoberto por uma bailarina russa que o levou a São Paulo, onde se tornou, nos anos 60, músico permanente do Jean Sebastian Bar, local frequentado por figuras como Sérgio Mendes, Naná Vasconcelos e Hermeto Pascoal. Estreou tocando ao vivo em uma peça de Augusto Boal, o Arena Conta Zumbi, estrelado por Gianfrancesco Guarnieri, Lima Duarte. Também do Arena, atuou em Arena Conta Bolivar, que foi proibida pela censura militar em 1971, e viajou o Brasil, além de Buenos Aires, Montividéu, Cidade do México, Lima e Nova York.

No cinema, trabalhou com Glauber Rocha em longas como A Idade da Terra e tocou com Hermeto Pascoal no álbum A Música Livre de Hermeto Pascoal. Desse último trabalho, Annunciação elevou a percussão para um outro patamar de protagonismo e se tornou o primeiro músico a gravar em oito canais de áudio dedicados exclusivos a percussão.

“Annunciação (R.I.P) inventou a mesa de percussão, na qual estavam diversos instrumentos de efeitos e objetos sonoros, e criou uma forma de tocar que virou referência para tudo o que veio depois”, conta o maestro Fred Dantas.

“Hoje partiu mestre Anunnciação, artista fundamental na construção da música universal, e um dos pilares da música instrumental feita na Bahia, mestre dos mestres. Em um dia muito especial pra mim, deixo meu agradecimento a esse gênio, e solidariedade à família”, disse o músico Thiago Trad ( ex Cascadura).

Apesar da visibilidade na época, o músico passou por dificuldades financeiras. Segundo Analu, Annunciação não possuía família biológica. “Ele nos contava que havia sido adotado por um casal de idosos e com a morte deles ficou sem ninguém”, relata. Há dois meses, o músico foi internado no Hospital de Irmã Dulce num quadro de muito declínio físico e com o diagnóstico de câncer.