Tudo certo em mais um ano de lavagem

Tradição, fé e muita animação marcaram, ontem, os 108 anos de realização da  Lavagem de Itapuã. O  tradicional festejo popular começou com ares de  festa do interior. Ainda  na madrugada, o Bando Anunciador –  grupo  que reúne, em média, 300 pessoas –  mansamente  foi  de porta em porta despertar os moradores que se juntaram aos cerca de 60 blocos que participaram da lavagem.

Para repor  as energias, o grupo encarou  um  caruru  oferecido pela organizadora do  bando, Ronilda Araújo, 65. “ É  o fortalecimento de um costume”, disse.   Logo depois, moradores deram sequência aos ritos com alvorada de fogos e uma caminhada em direção à Igreja de Nossa Senhora da Conceição. Esse foi o momento de os fiéis fazerem preces, pedirem  paz e começar a lavar os degraus da igreja.

Depois o point era certo! Café da manhã gratuito  na  casa de dona Niçu. A filha dela, Leonice  Gomes, 54, não se importou de gastar  R$ 2 mil para distribuir   bolos,  cuscuz e mingaus e continuar seguindo a tradição da mãe há  25 anos.

E após os agradecimentos à santa chegou a hora da curtição. Apesar de alguns   reclamarem do esvaziamento da festa, bastou os Filhos de Gandhy entoarem os atabaques  para  todos caírem na farra. E, assim,  milhares de pessoas vindas de vários bairros fizeram o percurso de Piatã  até Itapuã. A festa segue movimentando o bairro  até segunda.


Começou cedo

Às  6h teve início a tradicional lavagem da escadaria da Igreja de Nossa Senhora da Conceição de Itapuã. Dez baianas esfregaram  as escadarias com água de cheiro,  e muita água e sabão.

Café para a comunidade

Há 25 anos  o café da manhã de dona Niçu é uma das tradições mais aguardadas pelos moradores. São servidos mais de 300 pratos com bolo, cuscuz, além de cerca de 400 copos de mingau.

Samba, suor e animação

Eliana Brito, 56 anos, era uma das nativas mais animadas. Ao som da Escola de Samba de Itapuã,  sambava e descia até o chão para alegria da galera.  Frequentadora da  lavagem há  mais de 30 anos , diz gostar da animação.

Acampados

Genival dos Santos, 55, tem pique para acampar seis dias antes da festa no circuito da lavagem. Tudo para garantir o lugar  da barraca de bebidas. “Depois de Itapuã, farei a mesma coisa na Lavagem de Iemanjá”, diz.

Carango estiloso

A “ limopalha”  bombou na festa. O mecânico Curucuru  montou o carro na carroceria de uma Brasília. E com algumas palhas  e muita imaginação desfilou  com o carrão e  foi sucesso na festa.

Cornos  chegaram em bando

O arrastão  dos cornos marcou presença  na lavagem com o lema “Corno que é corno deixa a mulher solta na lavagem”. Os caras fizeram o maior sucesso e divertiram a galera.

Fonte: Jornal Massa

Next Post

Acidente com ônibus deixa feridos em Itapuã

Um acidente envolvendo um ônibus deixou feridos na manhã desta segunda-feira, 4, no bairro de Itapuã, em Salvador. De acordo com a Superintendência de Trânsito e Transporte do Salvador (Transalvador), várias ambulâncias do Samu estão no local, próximo ao Clube dos Suboficiais e Sargentos da Aeronáutica de Salvador (Cassas), para […]