Um novo tempo

Saulo Miguez

coluna-pense-nisso

Março de 2015 está marcado na história de Itapuã. Nesse mês, dois símbolos da boemia do bairro enceraram as suas atividades para dar espaço ao projeto urbanístico da nova orla marítima.

Por mais de três décadas os bares Jangada e Língua de Prata atraíram pessoas de diferentes bairros de Salvador e municípios próximos à capital. Foram anos de festas e histórias que facilmente preencheriam um livro, mas o ciclo dessas casas chegou ao fim.

demolicao-jangada

Nos últimos dois anos, surgiram alguns impasses em virtude da permanência, ou não, dos estabelecimentos após a reforma da orla. Muito se dialogou, diferentes vozes foram ouvidas, mas no final das contas o Jangada e o Língua de Prata foram mesmo demolidos. O legado desses espaços, por sua vez, permanece vivo na memória de Itapuã. Certamente aquela região por muito tempo será lembrada como o local do Língua de Prata e do Jangada.

Vivemos agora um novo tempo. A orla está ganhando cara nova e Itapuã começa a se reinventar. O passado, porém, estará sempre presente e, tais quais as pegadas de São Tomé, manterá impresso a sua marca na nossa história.

Next Post

Como vai o comércio de Itapuã? Vai de bike!

Na coluna de hoje quero falar um pouco sobre um tema que vem gerando grande repercussão no bairro nas últimas semanas… a proibição do estacionamento ao longo da Avenida Dorival Caymmi. Para alguns, o tema correto a ser tratado é a implantação da ciclofaixa, porém insisto que o problema é […]