Comerciantes e clientes pedem a reforma da Feira de Itapuã

abandono-mercado
Foto: Tribuna da Bahia

Insetos, estruturas enferrujadas, rede de esgotamento entupida e lixos espalhados formam o cenário do Núcleo de Abastecimento, Comércio e Serviços de Itapuã (Nacs).

Insatisfeitos com a situação, comerciantes e clientes do local pedem revitalização do local, já que a presença de insetos, rato e baratas está prejudicando as vendas e trazendo doenças para os frequentadores.

Segundo integrantes da Associação dos Vendedores de Frutos do Mar de Itapuã, mais de 50 solicitações foram feitas aos órgãos competentes, mas nada foi resolvido.

Com quase 10 anos de funcionamento, o Nacs abriga 160 barracas e 55 boxes para cerca de 205 trabalhadores. “A estrutura e as barracas são as mesmas desde o dia da inauguração. Nunca tivemos uma reforma aqui em nada”, reclamou o comerciante Américo Oliveira.

O entupimento da rede de esgoto e as estruturas danificadas são apontados como os principais problemas do local. Basta uma rápida circulada no espaço para flagrar fios da rede elétrica expostos e outros problemas de encanamento. “Já fizemos mais de 50 solicitações, mas não adiantou. Estamos há quatro anos nessas condições”, disse o representante da confecção e vendas do Nacs, Eronaldo de Araújo, mais conhecido como Índio.

De acordo com Índio, há alguns meses ratos e baratas tomavam conta do local, mas os próprios comerciantes eliminaram os roedores. “Nós nos juntamos e compramos um produto para eliminar os ratos, porém as baratas ainda são alguns dos nossos problemas, já que trabalhamos com alimentos”, afirmou.

O descarte do lixo também tem tirado o sossego dos comerciantes e moradores da Rua Tenente Bento. “Esses dois contêineres não dão conta da quantidade de lixo descartada na feira. Precisamos de mais dois, já que a maioria dos moradores também joga lixo aqui”, reclamou Alexandre Santos, que é morador do local. “Os feirantes também precisam aprender a amarrar o saco de lixo antes de jogar fora”, reclamou outra moradora.

Segundo Samuel Machado, integrante da associação, há um projeto de revitalização para o local, mas ainda não há previsão para o início das ações. “Precisamos de melhoria. Queremos um olhar carinhoso do poder público e maior contato entre a prefeitura e nós”, disse.

Irlene Dórea, chefe administrativa da prefeitura do bairro, que funciona no mesmo local, disse que todas as solicitações recebidas foram encaminhadas aos órgãos competentes. “Sempre que recebemos solicitações dos comerciantes da feira, nós registramos tudo e mandamos para os devidos órgãos. Não podemos fazer mais que isso”, afirmou.

Fonte: Tribuna da Bahia

Next Post

Ganhadeiras de Itapuã gravam primeiro disco

Representantes legítimas da cultura de raiz, As Ganhadeiras de Itapuã perpetuaram por gerações um pedaço da história do bairro em seus cantos e apresentações. Agora, em comemoração aos dez anos, as vozes do grupo serão eternizadas com a gravação do primeiro disco, com repertório itapuãzeiro. “Foi uma experiência maravilhosa. Presenciei […]