Comunidade se manifesta contra fechamento de turno no Lomanto Junior; órgão responsável nega extinção

Após o Itapuã City divulgar as excelentes práticas e resultados apresentados pelo Colegio Estadual Governador Lomanto Junior (clique para conferir), fomos informados de que a Secretaria de Educação do Estado da Bahia (SEC) pretende acabar com o turno noturno da instituição. 

É o que afirmam os educadores da escola, que se mobilizaram para pedir a anulação da possível decisão do órgão. “Até então estão mantidas apenas três turmas na noite, que são oriundas dos anos anteriores. No entanto, não foram autorizadas pela secretaria novas matrículas, o que nos faz acreditar que o objetivo seja a extinção definitiva do turno.”, afirma a professora da instituição há 16 anos, Acácia Brito. 

A mobilização, realizada por docentes e discentes, pede que a comunidade entre em contato com a Ouvidoria Geral do Estado, através do telefone 0800 284 0011, apelando para que a subtração do turno não ocorra. 

A inciativa começou após diversas tentativas de matrícula online não surtirem efeito. Apesar disso, os funcionários do colégio continuaram realizando o procedimento de forma manual, a fim de garantir as vagas, caso o fechamento do turno não seja confirmado. 

Nossa equipe entrou em contato com o órgão responsável e fomos esclarecidos de que a informação não procede. “Quando há o procedimento para fechar o turno nós somos os primeiros a divulgar a notícia. É provável que seja apenas um problema técnico que impede a conclusão da matrícula no site.”, afirma a assessoria da SEC. 

Apesar da informação concedida no dia 21/01, os alunos continuaram sem acesso ao procedimento online que podia ser realizado até o dia 27 de janeiro.

Next Post

Moradora afirma que obra na Praça do Jenipapeiro foi abandonada; responsáveis negam 

  Uma das leitoras do Itapuã City nos encaminhou uma pauta referente à requalificação da Praça do Jenipapeiro, em Itapuã. De acordo com ela, os pedreiros responsáveis pela reforma abandonaram a obra, iniciada em novembro de 2015, por falta de condições de trabalho, auxílio alimentação e até mesmo salário.  Segundo a […]