Estudantes mobilizam colégio Rotary em feira sobre saúde

Redação

Sexualidade, sustentabilidade, biotecnologia, esporte, lazer, qualidade de vida, saúde entre outros temas, fizeram parte da quarta edição da ExpoSaúde, realizada no dia 21/10, pelos estudantes do colégio Rotary. As turmas de 3º ano do ensino Médio, fizeram uma mostra do que aprenderam durante o ano, usando a criatividade para envolver a comunidade escolar.

Em ambientes ornamentados, os jovens construíram maquetes, cartazes, peças artesanais, falaram sobre doenças, ensinaram dicas de bem-estar e alimentação saudável, levaram profissionais, realizaram dramatizações. “O pessoal que trabalhou com Saúde, por exemplo, produziu uma dramatização que trazia um hospital, onde o paciente na cena passava por vários setores e era informado sobre várias questões. Já os alunos que abordaram alimentação, falaram sobre a importância de uma vida saudável, distribuíram salada de frutas, sucos e caldos naturais”, conta a professora de Biologia e coordenadora do projeto, Selma Cristina Lira.

Segundo ela, o conteúdo da ExpoSaúde começa a ser definido em sala de aula, através de discussões entre os grupos. Nessa linha, os alunos também foram a campo para aprofundar os conhecimentos. “Alguns foram até o centro que trata da anemia falciforme em Salvador, outros estiveram na Universidade Católica para conhecer o espaço acadêmico”, diz a educadora.

Para ela, o resultado da ação que aconteceu durante o dia inteiro é positivo. “A feira teve como objetivo gerar o conhecimento para que seja passado adiante, lembrando que cada um é livre para tomar as decisões sobre prevenção. Tenho a sensação de missão cumprida, ao mostrar para os alunos uma nova forma de aprender. Agradeço a eles, aos pais, professores que visitaram e a direção do Rotary por todo apoio”, finaliza Selma.

Clique aqui e confira a galeria com os melhores momentos da ExpoSaúde

Fonte: ItapuãCity

Next Post

Mas afinal, somos um povo metido?

Esta semana me deparei com mais um daqueles casos que me deixam um tanto constrangido. Em uma roda de amigos, sendo eu somente morador de Itapuã, acabei condenado a ouvir uma lorota que muitos conterrâneos já devem ter escutado. A conversa era sobre o comportamento das pessoas dos diferentes bairros […]