3 de junho de 2020

Ganhadeiras de Itapuã lançam DVD comemorativo

O ano tem sido bem especial para as Ganhadeiras de Itapuã. Depois de celebrar a vitória do samba-enredo da Escola de Samba Unidos do Viradouro, elas comemoram o lançamento do DVD Ganhadeiras de Itapuã 15 Anos – Uma História Cantada (Natura Musical), neste sábado (11), às 18h30, na TVE,  e a partir de amanhã (12) no Youtube, no canal do grupo. 

O registro, gravado em julho do ano passado, no Teatro Castro Alves, celebra a trajetória do grupo e posteriormente será disponível em versão física e On Demand. O DVD conta com participações especiais dos cantores Mariene de Castro, Margareth Menezes, Larissa Luz e Saulo, do sambista Seu Regi de Itapuã, do bloco afro Malê Debalê, e da Unidos do Viradouro.

Com direção musical e arranjos de Amadeu Alves, o repertório reúne canções autorais das integrantes do grupo, de compositores do bairro de Itapuã, além de uma passagem por canções de Dorival Caymmi, prestando uma homenagem ao lendário bairro de Salvador. O show registro teve direção artística e audiovisual de Dayse Porto, além da direção de movimento de Nara Couto, cenografia de Renata Mota e iluminação de Irma Vidal.

Desejo antigo do grupo, o DVD é descrito como um sonho. “Vemos como a realização de um sonho, algo que queríamos muito e nem mais esperávamos que pudesse acontecer” afirma  Dona Maria do Xindó, uma das matriarcas e cantora do grupo.
Já Verônica Raquel das Virgens destaca que s músicas acompanham as mulheres do grupo há muito tempo, desde suas infâncias. 

“Para mim, o DVD é um registro para as próximas gerações. Deixar para meus netos, bisnetos, tataranetos. Guardar a memória de Itapuã, de um grupo que cantou o jeito de ser desse bairro. E os grupos convidados fizeram parte de nossa história, nos apoiaram ao longo da nossa trajetória”cdiz Dona Maria Hermínia. Para ela, os grupos culturais de Itapuã são decisivos para mostrar outras feições do bairro, muitas vezes marginalizado e essa obra contribuirá para fazer mais pessoas conhecerem a riqueza do bairro.

O grupo completou 15 anos em 2019 e já recebeu o Prêmio Culturas Populares – Mestre Duda 100 Anos de Frevo, concedido pelo Ministério da Cultura, e foi reconhecido como uma das iniciativas exemplares das culturas populares do Brasil. Em 2014, lançou um disco  homônimo que em 13 músicas reúne raridades da cultura negra baiana e brasileira, candomblé, a importância da presença e liderança feminina, o amor pela natureza e crianças. O trabalho foi contemplado na 26ª edição do Prêmio da Música Popular Brasileira na categoria Melhor Grupo e Melhor Álbum. 

Fonte: Correio da Bahia