Itapuã por Itapuã

coluna-olhar-nativo

 

Ontem, conversando com outro nativo de Itapuã, entramos em desacordo, pois eu queria expandir horizontes e ele limitar. Qual dos dois estava certo? Talvez ele, talvez eu, tudo é uma questão de referencial, de foco, de objetivo. Porém, apesar do desencontro, é ele quem estimula sempre buscar o melhor ser, o melhor ter, o melhor fazer.

O nosso Farol de Itapuã já passou por diversas modificações até chegar ao seu estado atual. Será que um dia não quiseram mudar a sua cor? Quais as cores que melhor representam Itapuã e por quê?

Quem lembra aquela pedra atrás do famoso acarajé de Cira sem Outra Sereia de Itapuã e logo mais tarde O Pescador atrás dela? Diz a lenda que os pescadores que se perderam no mar olharam para a Sereia, se encantaram e ela os levou. Outros acreditam ter sido um mau tempo e afogamento dos mesmos. Se várias histórias divergentes ou não, não existissem talvez não tivesse os encantos e os mistérios da nossa terrinha.

Quem de nós tem mesmo a razão exata? O motivo concreto? O mistério desvendado?

Você já parou para pensar que as melhores ideias surgem após um grande problema? Conflitos, desacordos, divergências precisam mesmo existir para que movimentemos o mundo e o façamos cada dia melhor.

Você ficou curioso em saber qual foi o desacordo entre os nativos de Itapuã?  Pois bem, eu quis ir mais além de Itapuã e ele disse que eu tinha de ficar. Quem estava certo? Ele, eu dou meu braço a torcer, porque o foco é de Itapuã por Itapuã; mas quem sabe futuramente esse foco seja modificado e aí sim, eu estarei certa e não ele.

sereia

Next Post

Transito lento na Dorival Caymmi

      Neste final de tarde (27), cerca de 1500 pessoas participaram do protesto que saíram em caminhada para a Prefeitura Municipal. Uma carta elaborada pelo movimento Passe Livre foi entregue a prefeitura. ACM Neto determinou que seja reativado o Conselho de Transportes do Município de Salvador, afim de melhorar […]