coluna-perspectivas

O verde possui grande importância na geografia de Salvador. Sua paisagem carrega brilho especial diante da presença das áreas florestadas ainda existentes. Para os moradores, a vegetação tem uma grande representatividade. Em alguns lugares, a presença da mata possui até mesmo importância religiosa, sendo utilizadas como retiros espirituais e rituais religiosos.

Em Salvador, o desmatamento é um fator preocupante, pois age de forma bastante intensa. A maior parte da vegetação natural vem perdendo espaço na paisagem soteropolitana. O crescimento urbano é com certeza o principal responsável pela degradação ambiental. Tal crescimento se deve a ocupação espontânea das poucas áreas ainda preservadas.

 Na orla de Salvador, desde a região da Pituba, as dunas fazem (ou faziam) parte da paisagem soteropolitana.  Hoje são poucas as áreas preservadas. Somente na periferia que encontramos as dunas e a restinga (vegetação associada) protegidas efetivamente pela legislação ambiental.

Nas intermediações dos bairros de Itapuã, Praia do Flamengo e Stella Mares, encontramos a APA Lagoa do Abaeté, criada com o objetivo de proteger este ecossistema ameaçado  Além disso, de acordo com a lei 4771 criada no ano de 1965 pelo Conselho Nacional de Meio Ambiente, a restinga é considerada uma Área de Preservação Permanente, ou seja, uma área que não pode ser alterada por conta da sua função preservar os recursos hídricos, a paisagem, a estabilidade geológica, a biodiversidade, o fluxo gênico de fauna e flora, proteger o solo e assegurar o bem estar da população.

Localizado na Praia do Flamengo, nas Dunas do Abaeté, o Parque das Dunas possui uma área de mais de um milhão de metros quadrados e faz fronteira com o Aeroporto Internacional Luís Eduardo Magalhães. O parque tem uma grande importância no ecossistema, pois possui os últimos remanescentes da Mata Atlântica conservados no município do Salvador. O espaço é uma vitrine para aqueles que buscam conhecer a biodiversidade da restinga.

A Unibahia (Unidade Baiana de Ensino Pesquisa e Extensão) e a Unidunas (Universidade Livre das Dunas)  protegem a área contra práticas ilegais, como especulações imobiliárias e retiradas da flora e da fauna, entre outras.

Entre os atrativos do Parque das Dunas estão trilhas, viveiros de horto e a Biblioteca Fabrício Soares, que é especializada na área de meio ambiente. O parque tem um projeto de reforma que contempla a criação do Horto da Restinga, que possibilitará a realização de estudos, pesquisas e trabalhos científicos.