5 de setembro de 2020

21igrejadeitapuquandoer

A religiosidade do povo baiano tem grande força na comunidade de Itapuã. A eferverscência de templos e práticas religiosa são fundamentais para a construção da nossa identidade, rica e com particularidades bastante evidentes em nossos traços culturais. Assim, não devemos deixar de lado as reflexões sobre a Semana Santa, que encontra-se ameaçada pela onda de inseguranças em virtude da greve da Polícia Militar.

Desta forma, estamos na beira de um colapso desrespeitoso em virtude de uma categoria que esqueceu da importância da Semana Santa. Milhares de fiéis estão fardados à provação de enfrentar a insegurança pública para participar das comemorações sagradas. Serão três dias de martírio, para muitos, caso esta greve se estenda um pouco mais.

Não estou defendendo ou afrontando as razões dos policiais. Mas acho que o respeito a religiosidade é tão importante quanto as suas reivindicações. Afinal, vivemos num país laico, porém, cristão em sua forma de pensar e agir.