Subiu para 55 o número de macacos encontrados mortos em bairros de Salvador no mês de janeiro. A informação foi confirmada na manhã desta quarta-feira (31) pela Secretaria Municipal de Salvador (SMS). Todos os macacos mortos, além de outros cinco debilitados, foram encaminhados para avaliação, com o intuito de descobrir se eles estão contaminados com a febre amarela.

A SMS diz que, independente dos resultados dos exames – se identificada ou não a doença -, é realizado o bloqueio vetorial no entorno onde o animal foi capturado. Nenhum dos 60 animais capturados tem sinal de violência – ou que tenham sido agredidos. Os macacos não são transmissores da febre amarela. Pelo contrário, eles são indicadores que há o vírus circulando na região onde eles são localizados.

O Ministério da Saúde divulgou um novo balanço dos casos e mortes de febre amarela no Brasil nesta terça-feira (30). São 213 casos confirmados da doença, sendo que 81 pessoas morreram devido à infecção desde 1º de julho de 2017. A Bahia tem 15 casos notificados, sete descartados e oito em investigação. Um homem de São Paulo morreu em Salvador infectado com a doença no início do mês.

Confira a lista de locais onde os macacos foram encontrados; Itapuã lidera ranking:

Itapuã (4) / Pau da Lima (3) / Vila Canária (3) [1 vivo/ 2 mortos]

Mussurunga I (2) / Cabula (2) / Rio Vermelho (2) / Brotas (2) [1 morto/ 1 vivo]

São Marcos (2) / Pernambués (2) / Pirajá (2) / Cajazeiras (2)

Brasilgás (2) / Ondina (2) / Garcia (2)

Periperi (1) / Saboeiro (1) / Pituba (1) / Paripe (1) [vivo] / São Cristóvão (1)

Trobogy (1) / Novo Marotinho (1) / Dom Avelar (1) / Engenho Velho de Brotas (1)

Barreiras (1) [vivo] / Santo Antônio Além do Carmo (1) / Bom Jesus (1)

Rua Chile (1) [vivo] / Cassange (1) / Castelo Branco (1) / Novo Horizonte (1)

Candeal (1) / Barroquinha (1) / Garibaldi (1) / Jd. Nova Esperança (1)

Rio Sena (1) / Valéria (1) / São Tomé de Paripe (1) / Palestina (1)

Patamares (1) / Barra (1) / Itaigara (1) / Sussuarana (1)