Reinauguração da Praça do Coreto não corresponde às expectativas da comunidade

Reinauguração da Praça do Coreto não corresponde às expectativas da comunidade

Foram quase oito meses de obras, demolições, desgastes entre poder público e comunidade e, ainda assim, o resultado apresentado na reinauguração da Praça do Coreto, em Itapuã, não correspondeu às expectativas dos moradores da região.

É o que afirma o representante da comissão de moradores criada para debater sobre a reforma, Antonio Carlos. “O projeto não nasceu de um diálogo com a comunidade. Ele foi imposto. Sem contar com a paralisação das obras, devido à locação de trabalhadores não especializados e sem condições dignas e humanas de execução das atividades.”, pontua ele que, entretanto, elogia a qualidade da iluminação da nova praça.

 WhatsApp-Image-20160707 (1) WhatsApp-Image-20160707 (2) WhatsApp-Image-20160707 (3) WhatsApp-Image-20160707 (4)

Ainda de acordo com o residente, além dos transtornos por conta das obras, o meio ambiente também foi prejudicado pela forma de execução do projeto. “Várias árvores foram derrubadas, pois não houve cuidado prévio, conforme nossa sugestão de replantio. Com isso, acabaram-se as sombras, micoses e os pássaros sumiram.”, lamenta. 

WhatsApp-Image-20160707Uma outra grande polêmica envolveu o espaço cultural Rumo do Vento, pertencente ao local há mais de 30 anos. Inicialmente foi cogitada a extinção do ponto, o que prontamente foi questionado pela população e posteriormente acatado pela Secretaria de Manutenção da Cidade (SEMAN). 

Após a demolição do espaço, mediante garantia de sua reconstrução, foi determinado que o local seria destinado à comercialização de alimentação e bebidas e apresentações culturais, como shows, espetáculos e peças teatrais. 

Entramos em contato com a secretaria para confirmação do prazo de entrega, mas ainda não fomos respondidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

I accept the Privacy Policy