Em protesto barraqueiros queimam banheiros químicos e interditam via em Itapuã

ITAPUÃCITY

Em protesto contra a ‘Operação Verão’, que apreendeu neste sábado (18) cerca de 340 equipamentos irregulares nas praias entre o Porto da Barra e Piatã, barraqueiros queimaram sanitários químicos e interditaram a avenida Octávio Mangabeira na manhã deste domingo (20). De acordo com a Central de Polícia, a manifestação teve início por volta das 9h30, quando cerca de 200 barraqueiros interditaram os dois sentidos da avenida.

Os manifestantes queimaram pneus e pedaços de madeiras, impedindo o tráfego de veículos. As chamas atingiram um veículo que estava estacionado nas imediações do ato. O carro ficou danificado pelas chamas. Os barraqueiros também atearam fogo em dois banheiros químicos, e foram impedidos de depredar um terceiro com a chegada da Polícia Militar da região.

De acordo com os barraqueiros, cerca de 60 pessoas que trabalhavam na área de Piatã sofreram prejuízos financeiros durante a ‘Operação Verão’, que contou com a presença de 40 fiscais da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop), 20 guardas municipais e dez PMs.

Fiscais da Secretaria Municipal de Ordem Pública recolhem mesas de barraqueiro que não tinha licença para trabalhar na praia de Piatã; operação continua na Barra, Paripe e Itapuã

A manifestação deste domingo (20) causou um grande congestionamento em Piatã, mas  foi encerrada por volta das 11h. Entre os equipamentos apreendidos ontem estão freezers, churrasqueiras, sombreiros, cadeiras, mesas e materiais cortantes utilizados por barraqueiros e ambulantes. Em Piatã, um trailer que vendia alimentos e bebidas também foi rebocado.

Durante a abordagem, foram detectadas também terceirizações de licenças, o que é proibido, além da cobrança de mesas, cadeiras e estipulação de consumação mínima, práticas ilegais ou que ainda serão regulamentadas pela prefeitura. Também foi verificado se os ambulantes possuíam autorização municipal para trabalhar na faixa de areia ou no calçadão.

De acordo com a titular da Semop, Rosemma Maluff, a faixa de areia só pode ser ocupada por cadeiras após a solicitação dos clientes. “É uma ação educativa e de conscientização da nova ordem pública”, explicou Rosemma.

A operação será, efetivamente, punitiva após a entrega dos kits praia, prevista para o próximo domingo. Quando flagrados sem a licença para atuar na praia, a Semop solicita que os comerciantes desmontem suas estruturas e recolham os produtos. Todavia, se o responsável pela barraca não for identificado, o que ocorreu ontem em Piatã,  ou se houver resistência em seguir a determinação dos fiscais, as mercadorias são apreendidas.

Operação Verão

Deflagrada desde 1º de dezembro, a Operação Verão é realizada diariamente, com quatro grupos de fiscais divididos entre São Tomé de Paripe, Porto da Barra, Piatã e Itapuã (até Praia do Flamengo). Os horários, obviamente, não são divulgados por conta do efeito-surpresa. A intenção é montar, ainda, dois pontos fixos de fiscalização, em Piatã e Porto da Barra.

Durante a ação, os barraqueiros e comerciantes estão sendo orientados sobre as novas diretrizes que regulamentam a atividade econômica na faixa de areia. A padronização também atinge as baianas —  que devem fritar o bolinho na calçada, podendo levar a comida até os banhistas na areia.

Garrafas de vidro são apreendidas e recolhidas por fiscais da Semop

“Se todo mundo trabalhar nas mesmas condições, vai padronizar e ficar ótimo”, disse Adeval Souza, barraqueiro do Jardim de Alah há 35 anos. Do outro lado, em Ondina, Roque Santana, com ponto desde 1978, também defende a uniformidade. “Fica todo mundo igual, sem desvantagem”.

Fonte: Correio da Bahia

Next Post

Que calor é esse?!

A temperatura do planeta, de um modo geral, está aumentando ano após ano. Na cidade de Salvador, assim como na maioria das grandes cidades do mundo, o aquecimento global é acentuado pela ecologicamente equivocada gestão pública local. Ao longo dos últimos anos, o desmatamento na capital baiana aumentou consideravelmente; ao […]