23 de outubro de 2020

Líder de Itapuã questiona sobre situação dos barraqueiros e ACM Neto responde

_trataimagemEm entrevista ao jornal MASSA!, no último dia 31/01, o prefeito de Salvador, ACM Neto, esclareceu sobre a situação dos barraqueiros, diante da pergunta de Edvaldo Silva, um dos líderes da comunidade de Itapuã: “Quando será resolvida a questão dos barraqueiros e da Orla de Salvador?”

Segundo Neto, as novas estruturas chegam ao longo do mês de fevereiro. “Vamos ter estruturas novas, móveis, modernas, padronizadas todas elas exploradas pelos barraqueiros. Então, não há nenhum não barraqueiro explorando essas estruturas. A prefeitura em parceria com cervejarias está oferecendo gratuitamente esses equipamentos para todos os barraqueiros, claro aqueles que estão cadastrados. Esse é um pré requisito. Seja para trabalhar na Orla, para trabalhar no Carnaval, nas festas populares tem que se cadastrar”.

Ele enfatiza que o comércio informal faz parte da realidade de Salvador. “Muitos pais e mães de família vivem disso. Temos essa sensibilidade. O que é que a prefeitura está exigindo e isso a gente não pode abrir mão? É a organização, a padronização. Vale, para Orla de Salvador, vale para a Av. Sete, onde nós já fizemos 12 ruas, e eu vou entregar agora no dia 18 de fevereiro. Eu vou entregar 12 ruas completamente reformadas. Estamos dando de graça as barracas, compramos e estamos dando as barracas”, assinala Neto.

Ainda de acordo com a publicação, o prefeito garantiu a capacitação para os trabalhadores. “Vamos dar cursos de qualificação, de empreendedorismo para barraqueiros, baianas de acarajé, para feirantes. E qual é o nosso desejo? É iniciar um processo de formalização. Trazer para a vida formal essas pessoas”, destaca.

“A gente está dando as estruturas, ninguém está gastando um centavo para ter essas estruturas. Por outro lado, o que a gente espera ter? É exatamente a compreensão de que é preciso seguir um padrão de organização. A cidade precisa é de organização e nós vamos mostrar que é possível conciliar a exploração do comércio informal com a organização”, completa Neto.

Fonte: ItapuãCity com informações do MASSA!